Na Missa de Ramos, papa Francisco diz que Jesus “está nos rejeitados”

Celebração realizada na Basílica de São Pedro, no Vaticano, teve presença limitada de fiéis por causa da pandemia do novo coronavírus

atualizado 28/03/2021 9:58

Papa Francisco preside a Missa de Ramos, no VaticanoVatican Media

O papa Francisco presidiu a Missa de Ramos, na Basílica de São Pedro, no Vaticano, com a presença limitada de fiéis. A restrição acontece por causa da pandemia do novo coronavírus, pelo segundo ano consecutivo.

O Domingo de Ramos é considerado o início da Semana Santa, com a celebração dos mistérios da paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo pelos cristãos. No começo do evento católico, Francisco deu a bênção aos ramos, lembrando a passagem em que Jesus entra em Jerusalém montado em um jumentinho.

Na homilia, o pontífice pontuou que a principal celebração dos cristãos deve ser lembrada com assombro. “Nesta Semana Santa, ergamos o olhar para a cruz, a fim de recebermos a graça do assombro”, disse. “Passamos da alegria de acolher Jesus, que entra em Jerusalém, à tristeza de O ver condenado à morte e crucificado. É uma atitude interior que nos acompanhará ao longo da Semana Santa. Abramo-nos, pois, a esta surpresa.”

Francisco também exortou as pessoas a mudarem o modo de vida. “Hoje, há muitos que admiram Jesus: falou bem, amou e perdoou, o seu exemplo mudou a história… Admiram-No, mas a vida deles não muda. Porque não basta admirar Jesus; é preciso segui-Lo no seu caminho, deixar-se interpelar por Ele, passar da admiração à surpresa.”

Por fim, o papa relembrou a importância de se olhar para os mais pobres e agir por eles. “No Crucificado, vemos Deus humilhado, o Onipotente reduzido a um descartado. E, com a graça do assombro, compreendemos que, acolhendo quem é descartado, aproximando-nos de quem é humilhado pela vida, amamos Jesus, porque Ele está nos últimos, nos rejeitados.”

Confira toda a celebração:

Mais lidas
Últimas notícias