Papa Francisco pede que o mundo seja livre de armas nucleares

Tratado adotado em 2017 torna ilegal o uso, a ameaça, a posse e o armazenamento de armamentos atômicos

atualizado 20/01/2021 21:56

Reprodução

O Papa Francisco tem como um dos propósitos defender o desarmamento global. E durante pronunciamento feito nesta quarta-feira (20/01), ele reafirmou que “um mundo sem armas nucleares permite o avanço da paz”.

A fala acontece dois dias antes da entrada em vigor do Tratado das Nações Unidas adotado em 2017, que torna ilegal o uso, a ameaça, a posse e o armazenamento de armas atômicas.

“Trata-se do primeiro instrumento internacional juridicamente vinculativo que proíbe explicitamente essas armas, cujo uso tem um impacto indiscriminado: afeta um grande número de pessoas em breve tempo e causa danos ao ambiente de longa duração”, diz o Vaticano News.

O religioso ainda afirmou em comunicado: “Encorajo fortemente todos os Estados e todos as pessoas a trabalharem com determinação para promover as condições necessárias para um mundo livre de armas nucleares, contribuindo para o avanço da paz e da cooperação multilateral, da qual a humanidade tanto precisa hoje”.

Em uma visita ao Japão, país que já foi ferido pelas bombas atômicas, o pontífice afirmou: “Um crime contra o ser humano e sua dignidade e contra todas as possibilidades de futuro”. É assim que o Papa definiu várias vezes o uso de armas nucleares, julgando imoral o seu possesso.

Se “queremos realmente construir uma sociedade mais justa e segura, devemos deixar que as armas caiam de nossas mãos”, finaliza o religioso.

0

Últimas notícias