Rainha Elizabeth anuncia proposta para acabar com “cura gay”

Foi o primeiro evento dela desde a morte do marido. Ela também falou de outros projetos para os próximos meses no Reino Unido

atualizado 11/05/2021 13:17

Rainha Elizabeth IIMax Mumby/Indigo/Getty Images

A Rainha Elizabeth II anunciou, no primeiro grande compromisso desde a morte de seu marido, o Príncipe Philip, os projetos que o governo de Boris Johnson pretende aprovar nos próximos meses. No discurso, a monarca anunciou 30 planos para “entregar uma recuperação nacional” após a pandemia de Covid-19.

Além de investimentos em pesquisa, melhorias na educação e aceleração na criação de moradias, a agenda inclui planos para adotar um método que exige foto para comprovar identidade no momento do voto nas próximas eleições. A medida foi criticada tanto por membros do Parlamento.

O discurso também recebeu críticas por não mencionar o pagamento de auxílios sociais.

No entanto, o ponto que mais chamou atenção foi o anúncio do compromisso do Parlamento em abolir a chamada “terapia de conversão“, que tem como objetivo mudar a orientação de um indivíduo. A prática é considerada pseudociência e se tornou proibida em diversos locais, como no Brasil.

A Rainha também mostrou preocupação maior com a possível separação da Escócia do Reino Unido. “Meus ministros promoverão a força e a integridade da união”, afirmou a monarca.

0

O evento comumente é repleto de tradições e pompa, mas foi alterado em função da pandemia. Sem seu manto e coroa, a rainha apareceu com um simples vestido lilás acompanhada de seu filho, o príncipe Charles.

O primeiro-ministro da Inglaterra, Boris Johnson, anunciou na segunda-feira (10/5) que o país atingiu suas metas na luta contra a Covid-19 para relaxar o lockdown no país, permitindo o retorno de mais atividades. Entre domingo e ontem, o país não registrou nenhuma morte por Covid-19. Em todo o Reino Unido foram quatro, sendo todas no País de Gales.

Últimas notícias