O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/2) os Estados Unidos a não implantarem mais mísseis na Europa, com a ameaça de que Moscou poderá retaliar com novas armas que demorariam o mesmo tempo para atingir seus alvos.

Embora Putin não tenha fornecido detalhes das novas armas que a Rússia poderá utilizar, o comentário ajuda a tornar ainda mais tensa a relação bilateral com Washington.

Putin, que falou durante discurso sobre o estado da União, acusou os EUA de terem abandonado o Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF, pela sigla em inglês), de 1987, para poder construir novos mísseis livremente e de tentarem atribuir a culpa da decisão à Rússia.

“Nossos parceiros americanos deveriam ter sido honestos, em vez de fazer acusações infundadas contra a Rússia para justificar sua saída do tratado”, disse Putin.

Os EUA acusam a Rússia de ter violado o INF, ao desenvolver um míssil que desrespeita os limites estabelecidos pelo tratado. Moscou nega a acusação.