*
 

Promotores em Bruxelas disseram neste sábado que estão examinando um mandado de prisão contra o líder catalão destituído Carles Puigdemont e que esperam iniciar os procedimentos de extradição o mais rápido possível. Em comunicado, os promotores de Bruxelas disseram que promotores federais entregaram a eles os mandados contra Puigdemont e quatro de seus ex-ministros por causa de ligações que os cinco políticos catalães têm com Bruxelas.

O comunicado não explica quais seriam essas ligações. O ex-presidente da Catalunha e quatro de seus ex-ministros fugiram para a Bélgica após Madri tomar o controle formal da região separatista.

Fontes próximas aos políticos não revelaram seu paradeiro, mas Puigdemont publicou no Twitter que está disposto a cooperar com autoridades belgas. O comunicado dos promotores diz que não serão divulgados mais detalhes até as 14h de domingo (5/11).

Mais cedo, o ministro da Justiça da Bélgica, Koen Geens, declarou que o governo de seu país não terá qualquer influência sobre o futuro de Puigdemont. O mandado de prisão da União Europeia é “um procedimento completamente legal”, disse o ministro belga. Diferentemente de um processo de extradição internacional comum, o “poder executivo não tem nenhum papel neste procedimento da União Europeia. Tudo acontece por contato direto entre as autoridades”, comentou Geens. Fonte: Associated Press.

 

 

COMENTE

comunicar erro à redação

Leia mais: Mundo