*
 

O presidente Donald Trump afirmou no sábado (30/6) que nunca pressionou os republicanos a apoiar seus planos relacionados à imigração. A declaração, no entanto, contradiz comentário que fez há três dias, no qual disse que os republicanos da Câmara dos Representantes deveriam aprovar o “forte mas justo” projeto de lei, embora os democratas não permitissem que ele passasse pelo Senado.

As mensagens de Trump foram outra reviravolta nos esforços dos republicanos para adotar mudanças nas leis de imigração, no rescaldo de imagens que foram divulgadas e gritos de jovens filhos de imigrantes separados de seus pais. As declarações coincidiram com pessoas de todo o país marchando no sábado em oposição às suas políticas de imigração.

A casa liderada pelo Partido Republicano rejeitou profundamente uma ampla lei de imigração na semana passada, apesar do endosso de Trump.

Os líderes do Partido Republicano estão considerando uma alternativa que impediria o governo de separar as crianças das famílias imigrantes que entram no país sem autorização. Mas quaisquer mudanças não são esperadas para antes do feriado de 4 de julho, enquanto os congressistas tentam chegar a um acordo quanto à linguagem do projeto.

A questão também ficou mais complicada depois de um juiz federal ordenar que as famílias divididas estejam reunidas em 30 dias. Os republicanos têm trabalhado em uma legislação que manteria as famílias imigrantes juntas.

O próprio Trump emitiu um decreto executivo revertendo sua própria política de separação familiar. Cerca de 2 mil crianças foram afastadas de seus pais.