Sob pressão do Exército, comandante da polícia boliviana renuncia

Segundo os militares, um novo chefe será escolhido para “devolver a ordem” após uma noite de saques e incêndios na cidade de La Paz

Gaston Brito/picture alliance via Getty Images

atualizado 11/11/2019 17:46

O comandante da polícia da Bolívia, Yuri Calderón, renunciou ao posto nesta segunda-feira (11/11/2019), após a alta cúpula do Exército boliviano ter pedido sua saída. Segundo informações da revista Veja, os militares afirmaram que um novo chefe será escolhido para “devolver a ordem”.

A informação foi confirmada pelo diretor de comunicação da Polícia Boliviana, Ruddy Uria, em uma entrevista à radio Panamericana.

A renúncia do comandante veio depois de uma noite violenta no país. Após a renúncia do hoje ex-presidente Evo Morales, lojas foram saqueadas, incêndios e confrontos entre manifestantes foram registrados em La Paz e Santa Cruz.

Em sua conta oficial do Twitter, Morales denunciou que manifestantes “golpistas” invadiram sua casa, além de ameaçarem de morte seus ministros e familiares.

Reprodução/ Twitter

 

Reprodução/ Twitter

Entenda
A onda de protestos na Bolívia ocorre desde as eleições presidenciais do dia 20 de outubro, quando Evo Morales concorreu ao seu quarto mandato consecutivo. Sob acusações de que o ex-presidente teria fraudado as eleições, a Organização dos Estados Americanos (OEA) fez uma auditoria, que apontou irregularidades no último domingo (10/11/2019).

Pressionado por uma parcela da população liderada pelo opositor Luis Camacho, Morales resolveu deixar o cargo para ajudar a “pacificar o país”.

Últimas notícias