Site crítico ao chavismo diz ter sido multado em US$ 5 mi por matéria

Reportagem traz denúncias contra Diosdado Cabello, um dos principais nomes do regime atualmente liderado por Nicolás Maduro

Edilzon Gamez/Getty ImagesEdilzon Gamez/Getty Images

atualizado 05/06/2019 12:04

O Tribunal Supremo da Venezuela (TSJ) condenou na terça-feira, 4, o site de notícias La Patilla a pagar mais de US$ 5 milhões ao presidente da Assembleia Nacional Constituinte, Diosdado Cabello, um das principais figuras do chavismo, por danos morais após a reprodução de uma reportagem que o ligava ao narcotráfico.

Segundo o site, que divulgou uma decisão do TSJ que ainda não foi tornada pública, o órgão determinou que o La Patilla pague 30 bilhões de bolívares soberanos a Cabello. No câmbio oficial da Venezuela, o valor equivale a quase US$ 5,1 milhões.

Cabello processou acionistas, diretores, conselho editorial e proprietários do La Patilla e dos jornais Tal Cual e El Nacional em abril de 2015 depois de os veículos terem reproduzido em janeiro do mesmo ano um texto do jornal espanhol ABC.A matéria do ABC informava que Cabello estaria sendo investigado pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos por supostos vínculos com o narcotráfico.

O presidente da Assembleia Nacional Constituinte da Venezuela, um dos principais aliados do presidente do país, Nicolás Maduro, ainda não se pronunciou oficialmente sobre a decisão do Supremo.

“O terrorismo judicial não me assusta e não exonera os crimes dele”, disse o fundador do “La Patilla”, Alberto Federico Ravell, nomeado presidente do Centro Nacional de Comunicações do governo interino liderado pelo opositor Juan Guaidó.

O site afirmou que a condenação é uma “tentativa de autocensurar” os veículos de imprensa da Venezuela. A notícia provocou uma onda de solidariedade. Nas redes sociais, usuários, jornalistas e políticas de oposição publicaram mensagens de apoio ao La Patilla.

Cabello prometeu doar o dinheiro da indenização para programas sociais. Uma multa similar imposta ao diário El Nacional acabou perdendo o valor em virtude da hiperinflação que atinge o país. (Com agências internacionais)

Últimas notícias