*
 

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, cogitou neste domingo (19/3) a possibilidade de eleições antecipadas por causa de divergências com o ministro das Finanças, Moshé Kahlon, relacionadas a uma reforma da rádio e da televisão públicas.

Netanyahu insistiu que seus parceiros de coalizão fossem obrigados a estarem do lado de seu partido a respeito de todas as matérias da regulação dos meios de comunicação.

O conflito está centrado em relação à Autoridade de Radiodifusão de Israel (IBA), o organismo público que Netanyahu ordenou o fechamento no dia 30 de abril para ser substituído pela Corporação Pública de Radiodifusão (PBC), que tem como objetivo dinamizar um serviço público esgotado e recuperar espaço diante dos canais privados de televisão.

Netanyahu não tem data para o início da trasmissão da PBS, mas Kahlon, chefe do partido centrista Kulanu, insiste que a corporação deve começar a ser transmitida no mês que vem, como o previsto. A crise desencadeou a especulação de que a coalizão poderia desmoronar, e gerar novas eleições, que estão marcadas para acontecer somente em 2019.

 

 

COMENTE

israelBenjamin Netanyahupremiê de israel
comunicar erro à redação

Leia mais: Política