Evo Morales diz que dormiu em barraca improvisada após renúncia

Ex-presidente deixou seu país natal rumo ao México, onde ficará asilado. Congresso boliviano deve decidir hoje se aceita renúncia

Reprodução/TwitterReprodução/Twitter

atualizado 12/11/2019 12:01

O ex-presidente boliviano Evo Morales tem compartilhado com os seguidores nas redes sociais a rotina dele após a decisão de deixar a Bolívia rumo ao México. No Twitter, o político publicou uma foto, nessa segunda-feira (11/11/2019), em que aparece deitado no chão, sob uma barraca improvisada com lençóis.

O local é incerto, mas o boliviano afirma que estava perto de Cochabamba. “Assim foi a minha primeira noite depois de deixar a Presidência, forçado pelo golpe de Mesa e Camacho com ajuda da polícia”, disse. Até a manhã desta terça-feira (12/11/2019), o post havia sido curtido por cerca de 52 mil pessoas e compartilhado por mais de 17,7 mil.

A casa dele foi depredada por indivíduos não identificados horas após a notícia da renúncia. O imóvel teve vidros e decorações quebrados, além de móveis, quadros e roupas deixados fora do lugar. Também foram escritas mensagens contra Morales – chamado de “assassino” – nas paredes do lado de dentro e também de fora. As portas permanecem fechadas.

Evo deixou seu país natal nesta madrugada, depois que o governo de Andrés Manuel López Obrador enviou um avião de sua Força Aérea para buscá-lo. O avião partiu da Bolívia por volta das 23h de segunda-feira (horário de Brasília), pousando para uma escala em Assunção às 1h35 da manhã de terça. A decolagem do Paraguai ocorreu por volta das 5h30, após a aeronave ser reabastecida e confirmar sua rota de voo.

Houve um atraso na saída da aeronave porque o governo do Peru negou que o avião utilizasse o espaço aéreo dele. Morales estava em Cochabamba, desde domingo, quando anunciou sua renúncia sob pressão da oposição, policiais e militares.

“Irmãs e irmãos, parto rumo ao México, agradecido pelo desprendimento do governo desse povo irmão que nos deu asilo para preservar nossa vida. Dói-me abandonar o país por razões políticas, mas sempre estarei ao seu lado. Logo voltarei com mais força e energia”, escreveu o ex-presidente no Twitter.

Sucessão
O Congresso da Bolívia deve se reunir hoje para decidir se a renúncia de Evo Morales será aceita e indicar o sucessor. Com a vacância de todos os cargos da linha sucessória, a presidência foi reivindicada pela segunda vice-presidente do Senado, Jeanine Áñez, da oposição.

Últimas notícias