Biden convida Bolsonaro e mais 39 líderes mundiais à Cúpula do Clima

Objetivo do presidente dos EUA é estimular esforços das grandes economias para enfrentar a crise climática no mundo

atualizado 26/03/2021 20:11

Posse Joe BidenRob Carr/Getty Images

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, tomou medidas em seu primeiro dia no cargo para devolver o país ao Acordo de Paris. Agora, ele anunciou que vai convocar uma cúpula formada pelas grandes economias mundiais para enfrentar a crise climática. Na lista do chefe norte-americano, estão 40 líderes mundiais, incluindo o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Segundo a embaixada dos EUA no Brasil, a Cúpula de Líderes sobre o Clima vai enfatizar a urgência – e os benefícios econômicos – de uma ação climática mais forte.

“Será um marco fundamental no caminho que precede a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP26) em novembro, em Glasgow”, diz nota da embaixada.

Nos últimos anos, cientistas vêm enfatizando a necessidade de limitar o aquecimento global a 1,5ºC, a fim de evitar os piores impactos das mudanças climáticas. Um objetivo fundamental, tanto da Cúpula de Líderes quanto da COP26, será catalisar esforços que mantenham essa meta de aquecimento.

A Cúpula também vai destacar exemplos de como uma maior ambição climática vai criar empregos bem remunerados, promover tecnologias inovadoras e ajudar países vulneráveis a se adaptarem aos impactos climáticos.

“A Cúpula vai reunir novamente o Fórum das Principais Economias sobre Energia e Clima, liderado pelos EUA, que conta com 17 países responsáveis por aproximadamente 80% das emissões globais e do PIB global”, afirma a embaixada.

“O presidente também convidou os líderes de outros países que vêm demonstrando forte liderança climática, estão vulneráveis aos impactos climáticos, ou traçando caminhos inovadores para uma economia net-zero”, completa.

0

 

Principais temas da cúpula:
  • Galvanizar os esforços das principais economias do mundo para reduzir as emissões durante esta década crítica, com o objetivo de manter ao alcance um limite para o aquecimento de 1,5ºC.
    Mobilizar o financiamento dos setores público e privado para impulsionar a transição net-zero e auxiliar os países vulneráveis a lidar com os impactos climáticos.
  • Os benefícios econômicos da ação climática, com forte ênfase na criação de empregos e a importância de garantir que todas as comunidades e trabalhadores se beneficiem da transição para uma nova economia de energia limpa.
  • Estimular tecnologias transformadoras que possam ajudar a reduzir as emissões e se adaptar às mudanças climáticas, ao mesmo tempo em que cria novas oportunidades econômicas e constroem as indústrias do futuro.
  • Apresentar atores subnacionais e não estatais comprometidos com a recuperação verde e uma visão equitativa para limitar o aquecimento a 1,5ºC, e que estão trabalhando em estreita colaboração com os governos nacionais para avançar de forma ambiciosa e resiliente.
  • Discutir oportunidades para proteger vidas e meios de subsistência, abordar os desafios de segurança globais causadas pelas mudanças climáticas e seu impacto e abordar o papel das soluções baseadas na natureza no alcance do net-zero até 2050.
Veja quem são os líderes convocados:

Primeiro-ministro Gaston Browne, Antígua e Barbuda
Presidente Alberto Fernandez, Argentina
Primeiro-ministro Scott Morrison, Austrália
Primeiro-ministro Sheikh Hasina, Bangladesh
Primeiro-ministro Lotay Tshering, Butão
Presidente Jair Bolsonaro, Brasil
Primeiro-ministro Justin Trudeau, Canadá
Presidente Sebastián Piñera, Chile
Presidente Xi Jinping, República Popular da China
Presidente Iván Duque Márquez, Colômbia
Presidente Félix Tshisekedi, República Democrática do Congo
Primeira-ministra Mette Frederiksen, Dinamarca
Presidente Ursula von der Leyen, Comissão Europeia
Presidente Charles Michel, Conselho Europeu
Presidente Emmanuel Macron, França
Presidente Ali Bongo Ondimba, Gabão
Chanceler Angela Merkel, Alemanha
Primeiro-ministro Narendra Modi, Índia
Presidente Joko Widodo, Indonésia
Primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, Israel
Primeiro-ministro Mario Draghi, Itália
Primeiro-ministro Andrew Holness, Jamaica
Primeiro-ministro Yoshihide Suga, Japão
Presidente Uhuru Kenyatta, Quênia
Presidente David Kabua, República das Ilhas Marshall
Presidente Andrés Manuel López Obrador, México
Primeira-ministra Jacinda Ardern, Nova Zelândia
Presidente Muhammadu Buhari, Nigéria
Primeira-ministra Erna Solberg, Noruega
Presidente Andrzej Duda, Polônia
Presidente Moon Jae-in, República da Coreia
Presidente Vladimir Putin, Federação Russa
Rei Salman bin Abdulaziz Al Saud, Reino da Arábia Saudita
Primeiro-ministro Lee Hsien Loong, Cingapura
Presidente Matamela Cyril Ramaphosa, África do Sul
Primeiro-ministro Pedro Sánchez, Espanha
Presidente Recep Tayyip Erdoğan, Turquia
Presidente Sheikh Khalifa bin Zayed Al Nahyan, Emirados Árabes Unidos
Primeiro-ministro Boris Johnson, Reino Unido
Presidente Nguyễn Phú Trěng, Vietnã

Últimas notícias