Pensilvânia aponta que 300 padres cometeram abuso sexual

Mais de mil menores de idade foram vítimas dos religiosos. As autoridades não descartaram a possibilidade de haver mais vítimas

atualizado 14/08/2018 18:52

ISTOCK

A justiça da Pensilvânia (EUA) relatou que mais de 300 padres cometeram abuso sexual contra mais de mil menores de idade. Os crimes teriam sido escondidos por quase duas décadas pela Igreja Católica. A informação é do jornal Folha de S. Paulo.

As autoridades não descartaram a possibilidade de haver mais vítimas. A denúncia conta com mais de mil paginas e descreve pelo menos sete décadas de abusos e falta de conduta de bispos e outros integrantes da igreja.

Segundo a reportagem, dois padres já foram acusados com base na investigação. Na Pensilvânia um a cada quatro habitantes é católico. Os relatos que mais chamaram atenção foram de um padre violentar uma menina no hospital após uma cirurgia.

Outro investigado foi autorizado pela igreja a continuar no ministério mesmo após provocar a gravidez de uma adolescente e falsificar uma certidão de casamento para depois se divorciar da menina de 17 anos de idade. A demora na divulgação no documento se deu pela interferência de membros da igreja que alegavam “violação de seus direitos constitucionais”.

Últimas notícias