metropoles.com

ONU: países condenam invasão da Ucrânia, mas Rússia veta punição

Resolução obteve número de votos suficientes para aprovação. No entanto, a Rússia, membro permanente e presidente do grupo, vetou a medida

atualizado

Compartilhar notícia

Anastasia Vlasova/Getty Images
Militares ucranianos fazem patrulha em ruas do país. Atrás deles, vê-se dois tanques - Metrópoles
1 de 1 Militares ucranianos fazem patrulha em ruas do país. Atrás deles, vê-se dois tanques - Metrópoles - Foto: Anastasia Vlasova/Getty Images

A Rússia foi alvo de duras críticas durante a reunião do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU). Os embaixadores fizeram apelos ao presidente russo, Vladimir Putin, para a retirada das tropas.

A entidade reuniu seus países-membros para votar uma proposta de resolução que condenaria os russos e determinaria a retirada imediata das forças militares da Ucrânia. No entanto, a medida foi vetada, apesar de ter votos suficientes para aprovação.

Eram necessários ao menos nove votos para aprovar a resolução. O texto conseguiu o apoio de 11 nações — inclusive do Brasil. Contudo, a Rússia votou contra e vetou a medida. China, Emirados Árabes Unidos e Índia se abstiveram.

O Conselho de Segurança é composto por 15 nações, sendo cinco permanentes. Por ser um dos membros permanentes, a Rússia tem poder de veto. Além disso, a nação de Putin exerce a presidência do órgão neste momento. Veja como votaram os países:

A favor da resolução:

  • Estados Unidos
  • Reino Unido
  • França
  • Noruega
  • Irlanda
  • Albânia
  • Gabão
  • México
  • Brasil
  • Gana
  • Quênia

Contra a resolução:

  • Rússia

Se abstiveram:

  • República Popular da China
  • Índia
  • Emirados Árabes Unidos

A embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Linda Thomas-Greenfied, defendeu a penalização sumária da Rússia. Para ela, essa seria uma forma de frear o conflito armado.

“A Rússia pode vetar a resolução, mas não pode vetar as nossas vozes, nossas verdades e o povo da Ucrânia. Você não pode vetar a sua culpa”, criticou.

Antes da votação, a embaixadora do Reino Unido na ONU, Barbara Woodward, declarou que a obrigação da entidade é defender vidas e criticou os argumentos usados pelos russos para justificar a invasão. “Estão esmagando civis e pessoas estão sendo atacadas em todas as frentes”, frisou.

“Em nome da humanidade, que Putin retire as tropas. Precisamos parar a guerra”, apelou o embaixor da Albânia na ONU, Ferit Hoxha.

Ele também reclamou do veto. “Lamentamos a decisão da Rússia de vetar. Seu valor foi tomado refém ao contrário. Não é o fim dos nossos esforços. Vamos continuar a condenar essa agressão sem sentido”, finalizou.

O Brasil

O embaixador do Brasil na ONU, Ronaldo Costa Silva, condenou os ataques russos e disse que o mundo “precisa se livrar da guerra” e que “a paz e a lei internacional precisam prevalecer”.

“O Conselho de Segurança precisa agir rapidamente contra o uso da força. Precisamos criar as condições de diálogo. Temos que terminar esse conflito”, argumentou.

Costa Silva disse que o Brasil apoia a busca do “equilíbrio” e chamou de “inaceitável” a invasão do território ucraniano.

“Mantemos nossa convicção de que ameaças e força não vão levar a um acordo. A ação militar vai minar a fé na lei internacional e colocar a vida de milhares de pessoas em risco. É nosso dever perseguir a imediata suspensão das hostilidades. Renovamos nosso apelo para total fim das hostilidades para a retomada das negociações diplomáticas.”


Ao longo desta sexta-feira, Estados Unidos, Reino Unido e União Europeia aprovaram mais uma série de sanções contra a Rússia e o próprio presidente Putin.

A Ucrânia vive o segundo dia de bombardeios. Nesta sexta-feira, a capital Kiev, centro do poder, foi invadida por tropas russas. Putin recomendou que militares ucranianos deem um golpe no governo.

0

 

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações