Mulher enforca filha de 3 anos até a morte e se mata no Paraguai

Uma carta escrita à mão pela mulher foi encontrada no local da tragédia

atualizado 18/01/2021 11:56

Lisa Aquino, 39 anos, cometeu suicídio, neste domingo (17/1), após enforcar a filha, de apenas 3 anos, até a morte. O fato ocorreu em Yaguarón, cidade do Paraguai e é investigado pela Polícia Civil.

Além da filha de três anos, a mulher teria outros dois filhos adolescentes em decorrência de um relacionamento anterior, conforme parentes.

Leia mais em Topmídia News, parceiro do Metrópoles.

SUICÍDIO

<h5><strong>Busque ajuda</strong></h5>
O <strong>Metrópoles</strong> tem a política de publicar informações sobre casos de suicídio ou tentativas que ocorrem em locais públicos ou causam mobilização social. Isso porque é um tema debatido com muito cuidado pelas pessoas em geral. O silêncio, porém, camufla outro problema: a falta de conhecimento sobre o que, de fato, leva essas pessoas a se matarem.

Depressão, esquizofrenia e o uso de drogas ilícitas são os principais males identificados pelos médicos em um potencial suicida. Problemas que poderiam ser tratados e evitados em 90% dos casos, segundo a <a href=”http://www.metropoles.com/distrito-federal/saude-df/iluminando-tabus-setembro-amarelo-poe-o-suicidio-em-evidencia”>Associação Brasileira de Psiquiatria</a>.
<blockquote>Está passando por um período difícil? O Centro de Valorização da Vida (CVV) pode te ajudar. A organização atua no apoio emocional e na prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo, por telefone, e-mail, chat e Skype 24 horas todos os dias.</blockquote>
&nbsp;
<div class=”bloco-leg aligncenter wp-image-535095 size-full”>
<div class=”imgPinWrap”><img class=”aligncenter wp-image-535095 size-full loading” src=”https://uploads.metropoles.com/wp-content/uploads/2018/02/28172459/info-depressao_atualizada.gif” alt=”Arte/Metrópoles” width=”600″ height=”1065″ data-was-processed=”true” /></div>
<h6><strong>Disque 188</strong></h6>
</div>
A cada mês, em média, mil pessoas procuram ajuda no Centro de Valorização da Vida (CVV). São 33 casos por dia, ou mais de um por hora. Se não for tratada, a depressão pode levar a atitudes extremas.

Segundo dados da <a href=”https://www.who.int/eportuguese/countries/bra/pt/” target=”_blank” rel=”noopener noreferrer”>Organização Mundial da Saúde (OMS)</a>, a cada dia, 32 pessoas cometem suicídio no Brasil. Hoje, o CVV é um dos poucos serviços em Brasília em que se pode encontrar ajuda de graça. Cerca de 50 voluntários atendem 24 horas por dia a quem precisa.

Mais lidas
Últimas notícias