Mudanças climáticas podem causar extinção em massa da vida marinha

Informação é de estudo feito pela Universidade de Princeton, em Nova Jersey, nos Estados Unidos, e publicado na

atualizado 28/04/2022 17:11

iStock

Estudo divulgado pela Universidade de Princeton, nesta quinta-feira (28/4), indica que a humanidade poderá presenciar a extinção de um terço de todos os animais marinhos em até 300 anos.

A pesquisa avalia os impactos das recorrentes mudanças de temperatura dos oceanos, agravada pelas emissões de gases de efeito estufa. As informações são do The Washington Post.

Atualmente, a temperatura global já está 1ºC mais quente do que a registrada no período pré-industrial.

As descobertas foram publicadas em edição da revista Science. De acordo com o estudo, há um potencial considerável de eventos de extinção em massa nos mares, uma vez que as águas têm absorvido um terço de todo carbono produzido pelo homem e 90% do excesso de calor resultante das mudanças climáticas.

A pesquisa destacam, porém, que ainda é significativo o número de espécies marinhas desconhecidas pela ciência. Em contrapartida, o cálculo feito pelos cientistas Justin Penn e Curtis Deutsch indica que só a redução no uso de combustíveis fósseis e projetos de restauração de ecossistemas degradados poderão reduzir os riscos em até 70%.

Os pesquisadores fundamentaram o  estudo em análises das espécies marinhas com base em organismos simulados. Eles descobriram, através dos cálculos, que seria possível mensurar o número de desaparecimentos locais de espécies marinhas específicas. A pesquisa mostra que esse risco de extinção de determinado ser aumenta em 10% a cada 1ºC de aumento na temperatura das águas.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Mais lidas
Últimas notícias