Médico alega confusão e faz aborto em grávida errada

O profissional nem a enfermeira checaram a identidade da mulher antes de levá-la para o procedimento

FREESTOCKS.ORG-UNSPLASHFREESTOCKS.ORG-UNSPLASH

atualizado 24/09/2019 9:50

Médicos de um hospital de Gangseo, Coreia do Sul, estão sendo investigados pela polícia após realizarem o aborto em uma grávida que nunca tinha pedido para passar pelo procedimento. Segundo a imprensa local, uma gestante de seis meses foi à clínica e recebeu alguns medicamentos, que acreditava serem suplementos nutricionais.

No entanto, a enfermeira não verificou a identidade da mulher e, em vez de suplementos, ela foi anestesiada e levada para o aborto. Ainda segundo a polícia, o médico também não confirmou se ela era a gestante que iria fazer o procedimento. “Os profissionais confirmaram o erro”, disse um porta-voz da polícia local ao Yonhap News Agency.

Não há informações sobre o estado de saúde da mulher. O caso ocorreu em agosto, mas só foi divulgado pelas autoridades agora. O aborto é ilegal na Coreia do Sul, exceto em casos de doença hereditárias e estupro, e pode ser punido com um ano de prisão.

Últimas notícias