Homens invadem internato e sequestram centenas de meninos na Nigéria

As crianças estão desaparecidas desde sexta-feira (11/12) à noite. A polícia trocou tiros com bandidos, que fugiram levando as vítimas

atualizado 12/12/2020 17:58

Homens armados invadiram uma escola secundária no noroeste da Nigéria, na noite de sexta-feira (11/12), e centenas de jovens estão desaparecidos após o ataque.

Testemunhas relataram à BBC que agressores chegaram em motocicletas e começaram a atirar para o alto, gerando correria. O alvo era a Escola Secundária de Ciências do Governo, um colégio interno onde viviam mais de 800 alunos, no estado de Katsina.

O Exército e a Força Aérea nigeriana se juntaram na busca pelos desaparecidos, e mais de 200 estudantes foram resgatados, de acordo com a BBC.

Moradores dos arredores do internato, que é restrito a estudantes meninos, disseram à emissora britânica que ouviram tiros por volta das 23h (19h, no horário de Brasília) na sexta-feira, e que o ataque durou mais de uma hora.

Os seguranças da escola lutaram contra os agressores até que a polícia chegasse. A polícia informou que, durante troca de tiros, os criminosos foram forçados a recuar. Parte dos alunos conseguiu fugir do colégio saltando o muro da instituição.

Centenas de meninos, porém, não conseguiram escapar e foram carregados pelos invasores. A polícia e moradores da vizinhança se juntaram para procurar pelas crianças.

“A escola está deserta, todos os alunos se foram”, disse uma testemunha, Nura Abdullahi, à agência de notícias AFP. “Alguns dos estudantes que escaparam voltaram à cidade esta manhã, mas outros pegaram ônibus para suas casas”, acrescentou.

Katsina é o estado natal do presidente nigeriano, Muhammadu Buhari, que atualmente está na região para visita privada de uma semana. O ataque de sexta-feira aconteceu dois dias depois de sequestros de um líder local e de outras 20 pessoas em outra região do estado.

Em 2014, mais de 270 meninas foram sequestradas pelo grupo militante islâmico Boko Haram de uma escola na cidade de Chibok, no nordeste da Nigéria.

Últimas notícias