Grávida responderá por homicídio após ser baleada e perder o bebê

A mulher levou um tiro na barriga após uma discussão. Segundo a polícia, o feto não teve escolha por ter sido colocado na briga

Freestocks.org, UnsplashFreestocks.org, Unsplash

atualizado 27/06/2019 16:29

Uma mulher de 27 anos da cidade de Birminghan, Alabama, Estados Unidos, está vivendo um pesadelo. Durante uma discussão com outra norte-americana, Marshae Jones levou um tiro e perdeu o bebê que estava esperando. Menos de um ano depois, a jovem foi indiciada por homicídio culposo do feto, ou seja, quando não há intenção de matar.

“A investigação mostrou que a vítima verdadeira de todo o ocorrido foi o feto. A mãe da criança iniciou a briga que resultou na morte do bebê ainda na barriga”, disse Danny Reid, tenente da polícia local. A responsável por atirar, segundo as autoridades, agiu em legítima defesa, pois constatou-se que quem começou toda a discussão foi Marshae.

Nesta quinta-feira (27/06/2019), segundo o jornal NY Post, Marshae foi detida e levada para a cadeia. “Não vamos perder o foco de que o feto é a vítima. Ele não teve escolha em ser colocado em uma briga e confiava na mãe para proteção”, completou Danny Reid.

Segundo o site Al.com, grupos que defendem o direito ao aborto no Alabama são contra a decisão de indiciar a mulher por homicídio culposo. “O estado do Alabama provou que o momento em que uma pessoa engravida tem a responsabilidade exclusiva de produzir um bebê vivo e saudável e que considera qualquer ação que uma pessoa grávida faça que possa impedir que esse nascimento seja um ato criminoso”, explicou Amanda Reyes, do Fundo Yellowhammer, que defende os direitos das mulheres.

Últimas notícias