Governo Maduro bloqueia entrada de ajuda humanitária na Venezuela

O opositor de Maduro, Juan Guaidó, considera a postura "absurda de um governo que não se interessa pelo bem-estar dos venezuelanos"

MARTIAL TREZZINI/KEYSTONE/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOMARTIAL TREZZINI/KEYSTONE/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

atualizado 06/02/2019 20:25

As autoridades da Venezuela tentavam frear nesta quarta-feira (6/2) a entrada a partir da Colômbia de ajuda humanitária, bloqueando uma ponte fronteiriça, disseram funcionários dos dois países. O impasse ocorria na ponte Las Tienditas, que une a cidade colombiana de Cúcuta ao povoado de Ureña, no extremo oeste da Venezuela.

As ações de autoridades venezuelanas para impedir a entrada foram criticadas pelo secretário de Estado americano, Mike Pompeo, que exortou o governo do presidente Nicolás Maduro a deixar entrar ajuda para “um povo faminto”.

Líder oposicionista, Juan Guaidó se autoproclamou presidente interino em 23 de janeiro. Ele disse que os alimentos e medicamentos começarão a chegar à Venezuela, apesar das objeções de Maduro e criticou a postura “absurda de um governo que não se interessa pelo bem-estar dos venezuelanos”.

Maduro e o Tribunal Supremo de Justiça recusam a ajuda, afirmando que não existe uma situação de emergência na Venezuela. Ambos dizem ainda que a iniciativa dos deputados opositores de admitir ajuda internacional vai contra a Constituição. (Com informações do Associated Press)