Funeral da rainha Elizabeth II é marcado para 19 de setembro. Veja calendário

O Palácio de Buckingham organiza o passo a passo do enterro há décadas e nomeou o plano de London Bridge

atualizado 10/09/2022 15:04

Yui Mok - WPA Pool/Getty Images

Londres – Uma série de protocolos e um calendário rígido estão sendo colocados em prática desde o anúncio da morte da rainha Elizabeth II, na última quinta-feira (8/9). Os últimos três dias foram centrados na proclamação do rei Charles III como novo monarca, mas a próxima semana será focada no velório e enterro da rainha.

O Palácio de Buckingham confirmou que a Elizabeth II  será enterrada dia 19 de setembro. O rei Charles decretou feriado nacional no Reino Unido. O funeral da rainha ocorrerá na Abadia de Westminster, no centro de Londres, e membros da família real seguirão o caixão a pé, assim como fizeram com os corpos da princesa Diana e do duque de Edimburgo.

No mesmo dia, o caixão de Elizabeth II será levado para a Capela de St George, no Castelo de Windsor, para outra celebração religiosa. O destino final de descanso do caixão será na capela em memória do rei George VI, um anexo à capela principal. Lá foram enterrados os pais da rainha e se encontram as cinzas de sua irmã, a princesa Margaret.

O caixão da rainha será exposto, a partir de domingo (11/9), no Palácio de Holyroodhouse, em Edimburgo, na Escócia. A princesa Anne acompanhará, na terça-feira (13/9), o descolamento do corpo até Londres. Os restos de Elizabeth II permaneceram no Palácio de Buckingham e, no dia seguinte, serão transferidos para o Westminster Hall.

A família real organiza o passo a passo do enterro há décadas e nomeou o plano de London Bridge. De acordo com o calendário divulgado, os próximos dias serão identificados como como D+2, D+3, D+4 e assim por diante. Sabia em detalhes o que ocorrerá nos próximos dias:

Dia D+2, domingo (11/9)
Espera-se que o caixão da rainha seja transportado, em terra, para o Palácio de Holyroodhouse, em Edimburgo, na Escócia. Proclamações serão lidas nos parlamentos escocês, galês e da Irlanda do Norte em Edimburgo, Cardiff e Belfast.

Dia D+3, segunda (12/9)
Uma procissão é esperada ao longo da avenida Royal Mile, em Edimburgo, até a Catedral St Giles. Uma missa e a Vigília dos Príncipes por membros da família real é esperada.

O público terá a chance de passar pelo caixão da rainha, que estará dentro da Catedral. Espera-se que a Câmara dos Comuns e a Câmara dos Lordes se unam para uma Moção de Condolências, a qual o rei Charles III poderá atender.

Depois de deixar a Inglaterra e visitar a Escócia, Charles III viajará em algum momento para o País de Gales e a Irlanda do Norte para cumprir a chamada Operação Spring Tide.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
Publicidade do parceiro Metrópoles 5
Publicidade do parceiro Metrópoles 6
Publicidade do parceiro Metrópoles 7
Publicidade do parceiro Metrópoles 8
Publicidade do parceiro Metrópoles 9
0

Dia D+4, terça (13/9)
O caixão deverá ser levado para Londres e ficar no Palácio de Buckingham. Será organizado um ensaio para a procissão do caixão que sairá de Buckingham para o Palácio de Westminster.

Dia D+5, quarta (14/9)
Westminster Hall prepara-se para receber o caixão da rainha, assim como uma procissão por Londres. Esta é chamada Operação Marquee e tem previsão para durar quatro dias.

O Arcebispo de Canterbury conduzirá uma pequena celebração após a chegada do caixão em Westminster.

Centenas de milhares de pessoas poderão visitar e ver o caixão da monarca no catafalco, assim como puderam fazer o mesmo no funeral da rainha mãe em 2002.

O controle das filas e entrada do público serão organizados pela intitulada Operação Feather.

Membros da monarquia também são esperados para prestar tributos, ficando de pé ao lado do caixão durante um período – tradição conhecida como a Vigília dos Príncipes.

Dia D+6, quinta (15/9)
A estada do caixão em Westminster permanece e um ensaio para o funeral começa.

Dia D+7, sexta (16/9) a domingo (18/9)
As visitas ao caixão continuam e terminam no Dia D+9. Líderes do Estado começam a chegar para o funeral.

Dia D+10, segunda (19/9)
O funeral da rainha ocorrerá na Abadia de Westminster, no centro de Londres, mesmo local onde ocorreu sua coroação em 1953 e seu casamento com o príncipe Philip em 1947.

Os planos originais são para que o caixão seja transportado em uma carruagem de armas até a Abadia, empurrado por soldados da Marinha Real com ajuda de cordas, e não de cavalos.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
Publicidade do parceiro Metrópoles 5
Publicidade do parceiro Metrópoles 6
0

Membros da família real seguirão o caixão a pé, assim como fizeram no funeral da princesa Diana e do duque de Edimburgo. As forças militares também participarão da procissão.

Líderes de estado, primeiros-ministros e presidentes, e personalidades públicas serão convidados a adentrar a Abadia para uma missa, que será transmitida ao vivo pelos canais de televisão. Dois minutos de silêncio nacional são esperados.

No mesmo dia do funeral, o caixão de Elizabeth II será levado para a Capela de St George, no Castelo de Windsor, para outra celebração religiosa.

O destino final de descanso do caixão será na capela em memória do rei George VI, um anexo à capela principal. Lá foram enterrados os pais da rainha e se encontram as cinzas de sua irmã, a Princesa Margaret.

O caixão do príncipe Philip será desenterrado da Capela de St George para ficar ao lado do caixão de Elizabeth Il e sua família.

Mais lidas
Últimas notícias