Exército argentino terá de cumprir cota para pessoas trans e travestis

Em 4 de setembro, o presidente Alberto Fernández promulgou a Lei 24.156 que prevê cota em todos os órgãos públicos federais

atualizado 24/11/2020 19:32

Reprodução

O Exército da Argentina tem até o próximo dia 30 de novembro para cumprir cota de 1% para pessoas transexuais, travestis e transgênero.

De acordo com o Ministério da Defesa, foi pedido aos comandantes e aos líderes da força terrestre que informem sobre a situação existente quanto ao cumprimento da norma.

Em 4 de setembro, o presidente Alberto Fernández promulgou a Lei 24.156 que prevê cota em todos os órgãos públicos federais.

Não é necessário que se tenha feito a retificação do registro de sexo e gênero ou concluído os estudos para o nível exigido do cargo.

Últimas notícias