Os EUA anunciam fim da retirada de tropas do Afeganistão

A missão, que durou 20 anos, encerrou antes do prazo final, estipulado pelo presidente norte-americano, Joe Biden, para o dia 31

atualizado 30/08/2021 18:51

Famílias de refugiados afegãos fogem de Cabul pelo Aeroporto Internacional Washington DullesAndreas Rentz/Getty Images

A presença militar dos EUA no Afeganistão chegou ao fim nesta segunda-feira (30/8). O anúncio foi feito pelo general Kennth McKenzie, durante coletiva do Pentágono. A missão, que durou 20 anos, encerrou pouco antes do prazo final, estipulado pelo presidente norte-americano, Joe Biden, para o dia 31.

Segundo o comandante do Comando Central dos EUA, mais de 123 mil pessoas foram resgatadas durante o processo.

“Estou aqui para anunciar a conclusão de nossa retirada do Afeganistão e o fim da missão para resgatar cidadãos americanos, nacionais de países terceiros e afegãos vulneráveis”, disse. “O último C-17 decolou do Aeroporto Internacional Hamid Karzai em 30 de agosto, às 15h29, e a última aeronave tripulada está liberando o espaço acima do Afeganistão.”

De acordo com ele, não foi possível retirar todos os americanos do país asiático. No entanto, nenhum que estava no aeroporto de Cabul foi deixado para trás. “Enquanto a evacuação militar é concluída, a missão diplomática para garantir mais cidadãos americanos e afegãos que desejam partir continua”, ressaltou.

A crise

Desde que o Talibã tomou o controle de Cabul, em 15 de agosto, o país entrou em colapso, temendo a interpretação ultraconservadora da lei islâmica.

O Talibã retomou o poder no Afeganistão após os Estados Unidos iniciarem a retirada das tropas militares do país.

Em maio, integrantes do Talibã começaram a agir para estender sua área de controle, buscando dominar sul, norte e parte do oeste do país. A estratégia usada foi a de conquistar capitais de províncias, até chegar às grandes cidades.

Mais lidas
Últimas notícias