*
 

Os Estados Unidos e a China criticaram nesta terça-feira (4/7) o governo da Coreia do Norte por conduzir um novo teste balístico nas águas do Mar do Japão, elevando as tensões na região a poucos dias da cúpula do G-20, na Alemanha.

No Twitter, o presidente americano, Donald Trump, disse que é difícil ver a Coreia do Sul e o Japão “aguentando a situação por muito mais tempo. “Esse cara (Kim Jong-un) não tem coisa melhor pra fazer? (…) Talvez a China se mexa sobre a Coreia do Norte e acabe com esse nonsense de uma vez por todas!”, continuou.

Segundo a Casa Branca, Trump teria trazido a questão do programa nuclear de Pyongyang durante a conversa telefônica que teve no domingo (2) com o presidente Xi Jingping. No dia seguinte, a mídia estatal chinesa relatou que Xi disse a Trump que “alguns fatores negativos” estão prejudicando a relação entre os EUA e a China.

Citando fontes anônimas, o jornal americano New York Times relatou também que o presidente americano teria dito ao premiê chinês que os EUA estavam prontos para agir unilateralmente contra o regime norte-coreano.

Nesta terça, o porta-voz do ministério de Relações Exteriores chinês, Geng Shuang, afirmou que o país estava coletando informações sobre o último teste balístico e que pedia à Pyongyang que “pare de tomar ações que violem as resoluções do Conselho de Segurança e que procure fornecer as condições necessárias para a retomada das conversas”.

Geng também defendeu os esforços chineses para tentar resolver a questão da península coreana e lembrou que o papel da China é indispensável.

O teste balístico ocorreu no dia em que Xi Jinping é recebido pelo presidente russo, Vladimir Putin, em Moscou. Segundo o Kremlin, o encontro deve focar na economia e nas relações internacionais.

A cúpula do G-20 começa nesta sexta-feira (7), na Alemanha. Trump, Xi e Putin estarão entre os líderes presentes.