Argentina apresenta medidas para restringir exportação de carne bovina

Alguns cortes usados em churrasco não devem ser exportados. Objetivo do governo é melhorar a oferta de carne nos lares do país

atualizado 22/06/2021 22:12

boi, gado, neloreLucas Ninno/GettyImages

A Argentina anunciou, nesta terça (22/6), novas medidas para as limitações de exportação de carne bovina no país. Alguns cortes seguirão com as remessas restritas, o que ficará vigente até 31 de dezembro de 2021.

Além disso, o novo decreto reabilita a exportação até que 50% da média do ano passado seja atingida, descreveu em coletiva de imprensa o ministro do Desenvolvimento Produtivo, Matias Kulfa, adiantando medidas que estarão em vigor a partir da próxima publicação oficial.

“O objetivo é reabilitar a produção de maneira gradual e cuidando do preço interno”, descreveu Kulfa. A intenção do governo é colocar um “limite no crescimento desmedido” observado no mercado nacional com os preços, afirmou o ministro.

O objetivo é que os cortes utilizados em churrascos permaneçam na Argentina, “melhorando a oferta nos lares”, descreveu.

Depois de pouco mais de um mês na restrição das exportações, o governo autoriza parcialmente o retorno dos envios.

De acordo com o La Nación, a carne bovina sofreu um aumento de 76,2% em maio com relação a igual período do ano anterior na Argentina, em grande medida devido ao avanço dos preços no mercado internacional.

Últimas notícias