Cuidador de idosos é acusado de estuprar avó de 83 anos

Inicialmente, ele alegou que a idosa queria se vingar dele, mas um exame de DNA comprovou o crime

ReproduçãoReprodução

atualizado 21/10/2019 12:00

Um cuidador de idosos, de 59 anos, é suspeito de estuprar uma avó de 8 netos após levar o marido da vítima para um outro quarto da residência onde aconteceu o crime. Simon Prodanovich negou as acusações, mas exames de DNA confirmaram seu envolvimento no estupro e ele assumiu o ato, podendo ser condenado a até 25 anos de prisão.

O caso aconteceu em Melbourne, na Austrália. De acordo com o Daily Mail, ele havia sido contratado como cuidador do esposo da mulher, depois que ela não conseguiu mais tomar conta dele sozinha. Os dois estão juntos há mais de 60 anos.

No dia 12 de janeiro, a vítima pediu a Prodanovich que buscasse um remédio para as dores que ela sentia nas pernas. O acusado disse que não seria preciso e que uma massagem ajudaria mais. Depois disso, levou o idoso em uma cadeira de rodas para um outro cômodo, enquanto a senhora, confiando no profissional, deixou que ele a massageasse.

O suspeito, então, começou a lamber a vítima, para logo depois estuprá-la, mesmo com ela implorando que aquilo parasse. Logo depois, fugiu da casa e a polícia começou as investigações. No primeiro momento, ele negou as acusações, afirmando que a mulher inventou tudo.

E foi além: Prodanovich disse que a idosa havia criado a história como forma de se vingar depois dele ter se negado a passar creme nela. Porém, com os exames, ele viu que não poderia mais contestar a verdade. A filha da mulher afirmou, durante o julgamento, que ela agora tem medo de todos os homens e não quer mais ser tratada por médicos ou enfermeiros do sexo masculino.

“Tenha muito cuidado com quem você deixa entrar em sua casa e em sua vida”, disse a filha. A sentença será divulgada na próxima quinta-feira (24/10/2019).

Últimas notícias