Mulheres que criaram método de edição do genoma levam Nobel de Química

Emmanuelle Charpentier e Jennifer Doudna vão dividir o prêmio no valor de 10 milhões de coroas sueca, aproximadamente R$ 6,3 milhões

atualizado 07/10/2020 7:43

Mulheres que criaram método de edição do genoma levam Nobel de QuímicaNiklas Elmehead

A Academia Real das Ciências da Suécia anunciou, nesta quarta-feira (7/10), as ganhadoras do Nobel de Química. As pesquisadoras Emmanuelle Charpentier e Jennifer Doudna levaram o prêmio pelo desenvolvimento do Crispr, um método de edição do genoma.

Charpentier é uma microbiologista e imunologista francesa e tem 51 anos. Atualmente, é diretora do Instituto Max Planck de Biologia da Infecção, em Berlim, na Alemanha.

Bioquímica e bióloga molecular, Doudna, 56 anos, nasceu nos Estados Unidos e hoje dá aulas na Universidade da Califórnia, em Berkeley.

As pesquisadoras vão dividir o prêmio no valor de 10 milhões de coroas suecas, aproximadamente R$ 6,3 milhões.

Últimas notícias