*
 

A Agência Central de Inteligência norte-americana (CIA) divulgou um novo inventário dos materiais apreendidos no complexo de Abbottabad, refúgio de Osama Bin Laden, no Paquistão, durante a operação que resultou na morte do terrorista, em maio de 2011. Entre os mais de 470 mil arquivos recuperados, estão o diário pessoal do líder da Al-Qaeda, um vídeo do casamento de um de seus filhos e diversos filmes infantis e jogos de videogame. A biblioteca virtual pode ser acessada pelo site da Cia.

Os materiais englobam 18 mil arquivos de texto, 79 mil de áudios e imagens e mais de 10 mil vídeos. “A divulgação de cartas, vídeos, áudios e outros materiais recuperados da Al-Qaeda oferece a oportunidade de o povo norte-americano ter uma maior perspectiva dos planos dessa organização terrorista”, afirmou o diretor da CIA, Mike Pompeo, durante a divulgação, em 1º/11.

Segundo a agência, os documentos revelam as origens das fissuras existentes hoje entre as organizações terroristas Al-Qaeda e Estado Islâmico, bem como as discordâncias estratégicas, religiosas e doutrinárias entre os próprios membros do grupo afegão. No acervo, os planos da Al-Qaeda para comemorar o aniversário de 10 anos do ataque às Torres Gêmeas, em Nova York (EUA), em 11 de setembro de 2011.

Na coleção audiovisual apreendida, destacam-se jogos de videogame de ação como “Final Fantasy VII”, “Resident Evil” e “Batman: Gotham Knight”, além de desenhos animados como “Carros”, “FormiguinhaZ”, “O Galinho Chicken Little” e “A Era do Gelo”. Bin Laden possuía ainda documentários sobre si mesmo, como “Onde no Mundo Está Osama Bin Laden?”, de 2008, e “Nos Passos de Bin Laden”, produzido pela rede de televisão norte-americana CNN.

Essa não é a primeira vez que a CIA revela materiais apreendidos no complexo de Abbottabad. Em cumprimento ao Ato de Autorização de Inteligência, a agência divulga, desde 2014, arquivos recuperados durante a operação que matou Bin Laden. Os documentos antigos também estão disponíveis para acesso do público.

O terrorista Osama Bin Laden foi morto em 2 de maio de 2011 durante a Operação Lança de Netuno. O complexo paquistanês onde o líder se escondia foi atacado por integrantes das tropas especiais norte-americanas, os Navy SEALs.

 

 

COMENTE

Terrorismoosama bin ladencia
comunicar erro à redação

Leia mais: Mundo