Black Lives Matter: ativista desaparecida nos EUA é encontrada morta

Salau era uma voz importante da luta contra o racismo na cidade de Tallahassee. Ela foi vista pela última vez no último dia 6

atualizado 15/06/2020 16:59

Reprodução Twitter

O corpo de Oluwatoyin Salau, uma ativista afiliada ao movimento Black Lives Matter em Tallahassee (EUA), foi encontrado nesta segunda-feira (15/06). Salau estava desaparecida desde o último dia 6, após tuitar que havia sofrido assédio sexual. Ela era uma voz importante da luta contra o racismo na cidade. A notícia foi dada pelo Departamento de Polícia de Tallahasse.

Os policiais encontraram o corpo de Salu junto ao de outra mulher, Victoria Sims, de 75 anos. O suspeito do crime é Aaron Glee Jr., de 49 anos, que foi preso pelos policiais.

Glee Jr. já havia sido preso em 30 de maio, acusado de lesão corporal grave. No entanto, pagou fiança e foi solto no dia 1º de junho.

0

Relembre

No dia  6 de junho, Salu fez uma longa série de tuítes afirmando que um homem negro dirigindo uma caminhonete branca do modelo Chevrolet Silverado a parou na rua e ofereceu carona até uma igreja próxima, onde ela havia deixado vários de seus pertences.

Nos posts, a ativista também afirmou que conseguiu fugir da casa do homem, mas que não lembrava onde o suspeito morava. Ela não chegou a responder os internautas que a perguntaram se ela já estava em um lugar seguro.

A polícia não confirmou se Glee é ou não o mesmo homem que Salau acusou de molestá-la. Uma investigação está em andamento.

Últimas notícias