Alberto Fernández tem carro apedrejado ao visitar áreas de incêndio

Moradores hostilizaram presidente argentino com xingamentos e danificaram o veículo. Segundo eles, fogo é decorrente da extração de minério

atualizado 14/03/2021 10:51

Comitiva de Alberto Fernández é atacada por manifestantes na ArgentinaReprodução/Redes Sociais

Um grupo de manifestantes atacou com chutes e pedras o veículo que transportava o presidente argentino, Alberto Fernández, na província de Chubut (sul), região da Patagônia, no sábado (13/3). Fernández participava de uma visita para avaliar os danos dos incêndios florestais que atingem a região.

Moradores hostilizaram o presidente argentino com xingamentos e quebraram vidros do veículo. Eles relatam que o fogo é decorrente da atuação predatória da extração de minério.

Vídeos do momento do incidente foram postados nas redes sociais.

 

 

 

Fernández estava acompanhado do governador local, Mariano Arcioni, com quem os manifestantes travam uma batalha judicial sobre a atuação de mineradoras na região.

Nos últimos dias, os incêndios deixaram um morto, 11 desaparecidos, dezenas de desabrigados e mais de 200 casas destruídas nas cidades de Lago Puelo, El Bolsón, El Maitén, Epuyén, Futaleufú, El Hoyo e Las Golondrinas.

O presidente argentino comentou o ataque em suas redes sociais.

“​A violência que alguns manifestaram por ocasião da minha visita ao Lago Puelo não acompanha essa vocação que nos move. Tenho certeza de que esta violência não é compartilhada pelo povo Chubut e por aqueles que habitam nossa amada Argentina”, escreveu.

Também o governador Mariano Arcioni usou as redes sociais para condenar os atos de violência.

“Obrigado, presidente, por sempre cuidar do povo de Chubut. Os problemas se resolvem com trabalho e convicções, nunca com violência. Continuaremos juntos pelas verdadeiras vítimas deste desastre, os aldeãos que perderam tudo. Mais uma vez, vamos seguir em frente”, escreveu.

 

 

0

Últimas notícias