África do Sul suspende vacina da AstraZeneca por baixa eficácia contra variante do coronavírus

Imunizante apresentou proteção limitada contra a doença causada pela variante do coronavírus dominante no país

atualizado 07/02/2021 19:22

O ministro da Saúde da África do Sul, Zweli Mkhize, anunciou, neste domingo (7/2), a suspensão do uso da vacina contra o novo coronavírus produzida pela Universidade de Oxford em parceria com a biofarmacêutica AstraZeneca.

A decisão foi tomada após o imunizante, segundo ensaios clínicos, apresentar proteção limitada contra a doença causada pela variante do coronavírus dominante no país. O teste foi produzido pela Universidade de Witwatersrand.

“A vacina AstraZeneca permanecerá conosco até que os cientistas nos deem indicações claras sobre o que precisamos fazer”, afirmou o ministro da Saúde, em coletiva de imprensa, segundo registro da agência de notícias Reuters.

“A partir da semana que vem, e pelas próximas quatro semanas, esperamos que haja vacinas J&J [Johnson & Johnson] e vacinas Pfizer. Então, o que estará disponível para os profissionais de saúde serão essas vacinas”, disse.

A vacina da AstraZeneca/Oxford é um dos imunizantes distribuídos no Brasil. A variante do novo coronavírus encontrada na África do Sul, no entanto, não é a mesma identificada em Manaus (AM), por exemplo.

Assista à íntegra do anúncio do governo sul-africano:

Últimas notícias