metropoles.com

Mais 605 estrangeiros deixam Gaza; brasileiros seguem fora da lista

A passagem de Rafah conecta a Faixa de Gaza ao Egito, e é por onde os estrangeiros estão sendo autorizados a deixar a região

atualizado

Compartilhar notícia

Loay Ayyoub/For The Washington Post via Getty Images
Imagem colorida mostra palestinos com passaportes estrangeiros atravessam para o Egito na Passagem de Rafah, em Gaza Itamaraty - Metrópoles
1 de 1 Imagem colorida mostra palestinos com passaportes estrangeiros atravessam para o Egito na Passagem de Rafah, em Gaza Itamaraty - Metrópoles - Foto: Loay Ayyoub/For The Washington Post via Getty Images

A passagem de Rafah, que fica entre o Egito e a Faixa de Gaza, foi reaberta para estrangeiros na segunda-feira (6/11). Os brasileiros e seus familiares, contudo, seguem fora da nova lista de civis cuja saída da região é permitida, conforme documento divulgado nesta terça-feira (7/11).

Essa quinta lista inclui 605 pessoas, provenientes de oito países.

Os estrangeiros autorizados a deixar a Faixa de Gaza através do Egito são provenientes de países como Reino Unido, França, Alemanha, Romênia, Canadá, Filipinas, Ucrânia e Moldávia.

0

Na segunda-feira (6/11), outra lista também circulou na região. Seriam 329 portadores de passaporte estrangeiro. De acordo com informações da ABC News, confirmadas por um funcionário da fronteira, 29 palestinos estariam incluídos, alguns gravemente feridos, outros pacientes com câncer.

Os governos estrangeiros dizem que há em Gaza cidadãos de 44 países, bem como trabalhadores de 28 agências, incluindo organismos da ONU. Esses estrangeiros somariam cerca de 7,5 mil pessoas em Gaza. O Egito estima que 500 pessoas cruzem a fronteira diariamente.

Os profissionais de saúde do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) chegaram à Faixa de Gaza na sexta-feira retrasada (27/10). São, ao todo, 10 especialistas e seis caminhões com provisões médicas e kits de purificação de água.

Na manhã desta sexta-feira (3/11), o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, e o secretário de Estado dos Estados Unidos (EUA) se encontraram. A Casa Branca tentaria articular uma “pausa humanitária”mas Netanyahu já afirmou que o cessar-fogo está fora de cogitação até que os reféns sejam liberados pelo grupo Hamas.

Estatísticas dos bombardeios no Oriente Médio

O número de mortos na Faixa de Gaza está em pouco mais de 10 mil, e são mais de 32 mil feridos, de acordo com informações do Ministério da Saúde de Gaza (MOH), que é controlado pelo Hamas, da segunda-feira (6/11). Dos óbitos, dois terços são de mulheres e crianças. A estatística chega a 1,9 mil feridos e 111 mortos na Cisjordânia.

Somando os 1,4 mil mortos em Israel durante o ataque do Hamas em 7 de outubro, o total chega a 11.422 vidas perdidas no Oriente Médio nesta guerra.

Resgate de brasileiros em Gaza

A repatriação realizada pelo governo federal é chamada de Operação Voltando Em Paz e já trouxe mais de 1,4 mil pessoas ao Brasil, todas provenientes de Israel e, mais recentemente, da Cisjordânia. Agora, o governo federal negocia, por meios diplomáticos, buscar os 34 brasileiros na Faixa de Gaza, que ainda não saíram da região, após cinco listas de estrangeiros autorizados a cruzarem a fronteira.

Os brasileiros que estão em Gaza seguem fora das listas de estrangeiros permitidos a deixar a região pela da fronteira com o Egito, por meio da passagem de Rafah. Essa situação se estende desde a última quarta-feira (1º/11), e o Itamaraty enviou, ainda na sexta, questionamentos sobre os critérios de seleção das listas, conforme adiantou a coluna de Ricardo Noblat no Metrópoles.

Compartilhar notícia