Como falar de política com as crianças?

É natural que, às vésperas das eleições, os pequenos acabem ouvindo coisas e fazendo perguntas sobre o assunto

atualizado 05/10/2018 18:14

iStock

A dois dias de uma das eleições mais polarizadas de nossa curta – porém, resistente – história democrática (assim quero acreditar), não há um lugar onde não se discuta política. No trabalho, em casa, no supermercado, na internet, só se fala disso. É natural que, nesse clima, as crianças acabem ouvindo coisas e fazendo perguntas sobre o assunto. Como falar disso com elas?

A psicóloga e psicopedagoga Jéssica Fogaça, especialista em psicologia infantil, explica que, antes de tudo, o interesse deve partir da criança, especialmente no caso das mais novas. “Quando surgir uma questão, precisamos tentar entender qual é exatamente a dúvida. Se seu filho perguntar o que é eleição, não adianta dar uma explicação abrangente sobre o sistema eleitoral e a quantidade de partidos”, exemplifica.

A especialista lembra que, em nossa sociedade, a política é feita o tempo todo, por meio das inúmeras regras e combinados existentes nos ambientes familiar e escolar. “Aos poucos, as crianças vão entendendo que, em casa, os pais decidem algumas coisas, como o horário de comer e dormir, mas elas também podem fazer suas escolhas, na hora de vestir a roupa ou pintar um desenho. Tudo isso é política.”

Jéssica afirma que a inclusão de meninos e meninas em atos e manifestações políticas pode ser interessante, desde que estejam preparadas. Em marchas, por exemplo, são comuns palavras de ordem e música. Por isso, muitos pequenos podem se sentir desconfortáveis e assustados com o barulho. Se as condições estiverem esclarecidas, a participação das crianças é, inclusive, um ótimo aprendizado.

“Além de perceber que estão sendo incluídas na vida pública dos pais e da comunidade, as crianças podem aprender valiosas lições de cidadania”, defende a psicóloga. Jéssica, que participou da manifestação #elenão no último sábado (29/10), conta ter visto várias mães explicando aos filhos os detalhes do momento. “É uma oportunidade de dizer a meninos e meninas que não podemos ofender os outros e devemos respeitar a diversidade”, diz.

Em qualquer situação, há a necessidade de as famílias tomarem cuidado com a forma a qual se referem a adversários políticos. “A gente sempre procura ensinar para as crianças a importância do diálogo, então, precisamos ser coerentes com isso, ouvindo o outro lado, por mais que discordemos dele.”

Uma dica para falar sobre o assunto é trazer exemplos próximos à realidade da criança. O uso de livros e músicas também pode ajudar. Aqui vão três bem bacanas:

Livro Quem Manda Aqui? (Companhia das Letrinhas)
Com ilustrações lindíssimas e uma poesia encantadora, o livro, que nasceu a partir de oficinas com crianças, traz conceitos básicos sobre monarquia, escravidão, democracia e diversidade. Também é possível fazer o download pela internet.

DVD Os Saltimbancos
Os Saltimbancos é um musical da dupla Sergio Bardotti e Luis Enríquez Bacalov, adaptado no Brasil por Chico Buarque. Traz a história de quatro animais que se sentem explorados e decidem deixar a fazenda onde vivem para tentar a vida na cidade. Rebeldia e música da mais alta qualidade.

Eu prometo, do Castelo Rá-Tim-Bum
Neste episódio, Doutor Victor viaja e deixa a cobra Celeste como responsável pelo castelo. Só que ela se transforma em uma ditadora e, então, todos decidem organizar uma eleição para decidir quem deve tomar conta das coisas.

Mais lidas
Últimas notícias