Marina: postura de Bolsonaro sobre vacina em crianças é “um horror”

Ex-senadora pelo Acre também afirmou que conduta do presidente da República é contrária à saúde das crianças e do bem-estar das famílias

atualizado 20/12/2021 18:07

Daniel Ferreira/Metrópoles

A ex-senadora Marina Silva (Rede) afirmou, nesta segunda-feira (20/12), que o posicionamento do presidente Jair Bolsonaro (PL) de ser contrário à vacinação de crianças entre 5 e 11 anos é “um horror”.

Pelas redes sociais, a ex-candidata ao Palácio do Planalto nas eleições de 2018 também classificou como “negacionista da ciência” e que prejudica a vida dos menores.

“A posição de Bolsonaro sobre a vacinação de crianças não é indicativo de preocupação com elas. Trata-se de luta ideológica negacionista da ciência e isso é um horror. Isso é que é atuar contra a saúde das crianças e o bem-estar das famílias”, registrou no Twitter.

Veja a publicação:

Receita médica

No último domingo (19/12), Bolsonaro defendeu a exigência de receita médica para liberar a vacinação de crianças de 5 a 11 anos. Durante conversa com apoiadores, no Guarujá, litoral paulista onde passa o fim do ano, o chefe do Executivo federal ainda voltou a falar que a imunização do público infantil precisa da autorização dos pais.

“O que pretendemos fazer? Vacina para crianças só se autorizada pelos pais. Se algum prefeito, governador ou ditador quiser impor é outra história, mas do governo federal tem que ter autorização dos pais e uma receita médica”, declarou.

Na conversa, o presidente também disse que a decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) de liberar a aplicação da vacina da Pfizer/BionTech contra a Covid-19 para o público pediátrico de crianças de 5 a 11 anos é “inacreditável”.

Mais lidas
Últimas notícias