Aeroporto de Brasília terá shopping e cinema a céu aberto. Veja vídeo

Inframérica calcula investimentos perto de R$ 700 milhões e com a geração de cerca de 3,5 mil novos empregos, diretos e indiretos

atualizado 07/02/2022 19:22

Divulgação / Aeroporto

Após 10 anos do leilão das concessões, o Aeroporto Internacional de Brasília Juscelino Kubitschek anunciou, nesta segunda-feira (7/2), mais um plano de expansão que começará a sair do papel nos próximos meses.

A nova etapa – de outras já planejadas e que devem ser confirmadas daqui adiante – prevê a construção de um  grande shopping center, um complexo de entretenimento e mais um centro de logística (veja abaixo).

De acordo com a Inframérica, concessionária que administra o terminal, os empreendimentos parceiros começam a ser entregues no final do ano que vem e com a conclusão das obras previstas para o primeiro semestre de 2024.

A empresa calcula investimentos próximos a R$ 700 milhões e com a geração de cerca de 3,5 mil novos empregos, diretos e indiretos.

“Nosso objetivo sempre foi ajudar a cidade a crescer, ser mais atrativa, e estes projetos vão contribuir com o turismo e a economia local desta linda capital que tem verde por todos os lados. O terminal brasiliense sempre teve esta conexão com a cidade, um ponto de reunião e encontro local. O apoio dado pelo Ministério de Infraestrutura, Agência Nacional da Aviação Civil (ANAC), e pelo Governo do Distrito Federal (GDF), assim como o dos nossos parceiros comerciais, que acreditaram no projeto, foram fundamentais”, destacou Jorge Arruda, presidente da Inframérica.

Veja o vídeo:

Shopping

O novo shopping será erguido ao lado do hotel que já funciona exatamente na via que dá acesso ao terminal. O Grupo Partage – que comanda 12 empreendimentos espalhados pelo país – firmou o acordo com a Inframérica para construir, comercializar e administrar o negócio.

De acordo com a concessionária, o projeto é inspirado “no céu de Brasília”, com conceito Open Mall e permitirá que o visitante transite por áreas abertas e fechadas, com varandas sombreadas e vista para a natureza original preservada no local.

A área total construída será de mais de 60 mil m², muito próxima a de conhecidos e tradicionais centros comerciais da cidade e vai agregar 130 lojas, 11 restaurantes, 11 redes de fast-food, 7 salas de cinema – uma delas a céu aberto –, uma academia. A ideia é integrar o novo complexo com a região de passageiros do aeroporto. O projeto é assinado pelo escritório Cité e Sá & Almeida.

“Desde a escolha das matérias primas, passando pelo projeto de iluminação e ventilação natural, até a integração com a mata nativa do cerrado, que será preservada, o projeto tem o respeito ao meio-ambiente como um de seus pilares fundamentais”, explicou Adriano Capobianco, diretor comercial e de novos negócios da Partage.

Segundo ele, “haverá um mix diversificado e qualificado de lojas, gastronomia, entretenimento e serviços constituirá um empreendimento de enorme potencial para os lojistas e incrível experiência para os consumidores de Brasília e região” afirma Adriano Capobianco, diretor comercial e de novos negócios da Partage”.

Entretenimento

Os novos pontos de entretenimento do aeroporto foram pensados para atender os diversos públicos da região Centro-Oeste e principalmente da capital federal, além de cerca de 40 mil passageiros e aproximadamente 15 mil trabalhadores diretos e indiretos que diariamente transitam pelo terminal aéreo.

“Todo o conceito foi idealizado pela equipe interna da casa e depois de diversos estudos com a população brasiliense para entender as expectativas, chegamos a um resultado totalmente condizente com a realidade da região e economicamente viável”, informou o diretor comercial da Inframerica, Ian Joels,

Entretenimento e logística

A nova etapa também prevê um centro de entretenimento a ser construído bem ao lado do shopping. O local terá 30 mil m² de área construída e deve abrigar três parques temáticos. A Inframérica informa que o contrato com os investidores já foi assinado e os projetos seguem em andamento.

Com o crescimento do e-commerce, também houve o planejamento para a construção de um grande centro de logística e distribuição, que será administrado pela empresa Log CP. O espaço terá 120 mil m² de terreno e 66 mil m² de área para locação, e já é considerado um dos maiores do ramo no Distrito Federal.

“Há uma demanda crescente no setor de galpões e condomínios logísticos no Brasil como um todo. Estamos sempre acompanhando as tendências de mercado e as necessidades de nossos clientes. Por isso, sabemos que o Distrito Federal é uma região bastante estratégica para os nosso negócios”, disse Guilherme Trotta, diretor comercial e de marketing da empresa.

Segundo o executivo, os galpões classe A possuem amplo estacionamento, vestiários, restaurante, serviço de jardinagem, manutenção, vigilância com circuito fechado de TV e portaria 24 horas”, disse.

 

Mais lidas
Últimas notícias