Ariake Arena

Vôlei estreia nas Olimpíadas, veja os desafios das seleções do Brasil

Seleção feminina busca reestabelecer sua força, e equipe masculina chega como favorita ao ouro

atualizado 23/07/2021 10:17

Ariake ArenaToru Hanai/Getty Images

Nesta sexta-feira (23/7), uma das modalidades mais queridas pelos brasileiros nas Olimpíadas entra em cena nos jogos de Tóquio, o vôlei de quadra. E logo de cara, a Seleção Brasileira masculina entra em quadra para iniciar as atividades no Japão em partida contra a Tunísia. A seleção feminina, por sua vez, estreia no domingo (25/7) contra a Coreia do Sul.

Tanto no feminino quanto no masculino o formato de disputa é o mesmo, 12 seleções divididas em duas chaves. As quatro equipes com as melhores pontuações passam para as quartas de final e, a partir daí, seguem a disputa no mata-mata.

Vamos traçar um raio-x de como cada uma das equipes brasileiras chega para a disputa desta edição e quais os adversários de cada grupo.

Seleção feminina

Depois de dois ouros consecutivos, a seleção feminina do Brasil sofreu duro golpe nos jogos Rio-2016. Hegemônica até então, a expectativa para um possível tricampeonato em casa era grande. A derrota para a China nas quartas de final acabou jogando um balde de água fria na equipe, que chega a Tóquio buscando retomar o degrau mais alto do pódio.

A chance de chegar com moral em alta, no entanto, não foi tão bem-sucedida. Na disputa da Liga das Nações deste ano, a equipe comandada por Zé Roberto acabou perdendo para os Estados Unidos na final. Apesar da derrota, a forma com que a seleção jogou durante a competição mostra que há chances de o brasileiro sonhar com o tri.

Além da Coreia do Sul, adversário da estreia, acompanham o Brasil no grupo B: Japão, Sérvia, República Dominicana e Quênia. No grupo A, estão: China, EUA, Rússia, Itália, Argentina e Turquia.

Na fase de grupo, a partida contra a Sérvia deve ser o maior desafio para o Brasil. Em caso de classificação, os possíveis confrontos contra os Estados Unidos e a China também mostram que o caminho para o ouro não será fácil.

A final feminina está marcada para o dia 8/8. Que assim como em 2008 e 2012, prevaleça o sorriso brasileiro.

Seleção Masculina

Diferentemente da equipe feminina, a seleção masculina chega com moral de favorito ao ouro. Atual campeã da modalidade, depois do ouro em 2016, a equipe é a vencedora da última edição da Liga das Nações. Na final, bateu a Polônia, que deve ser o adversário mais complicado no caminho para o ouro.

A seleção está no grupo B, que também tem desafios traiçoeiros. A equipe de Renan Dal Zotto, recém-recuperado da Covid, terá de enfrentar França, Argentina, Rússia e Estados Unidos. No grupo A, estão: Japão, Polônia, Itália, Venezuela, Canadá e Irã.

Além dos poloneses, russos e franceses podem dar trabalho para Lucarelli, Bruninho, Douglas Souza e companhia.

É fazer prevalecer o favoritismo.

Quer ficar por dentro de tudo que rola no mundo dos esportes e receber as notícias diretamente no seu Telegram? Entre no canal do Metrópoles.

Mais lidas
Vídeos
Últimas notícias