Miedema, Marta e Alex Morgan

Saiba tudo sobre a disputa do futebol feminino nos Jogos de Tóquio

O Metrópoles conta tudo que é preciso saber sobre a modalidade, os grupos, as atletas que devem de destacar em cada equipe e muito mais

atualizado 20/07/2021 22:50

Miedema, Marta e Alex MorganLaurens Lindhout/Soccrates/Getty Images, Rico Brouwer/Soccrates/Getty Images e Brad Smith/ISI Photos/Getty Images

A disputa pelo ouro olímpico no futebol feminino, nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, começa na madrugada desta quarta-feira (21/7), com direito a estreia da Seleção Brasileira feminina, diante da China.

O Metrópoles conta tudo que é preciso saber sobre a modalidade, os grupos, as atletas que devem de destacar em cada equipe, datas dos jogos, a expectativa para o desempenho do Brasil e palpite para o mata-mata.

As 12 seleções foram divididas em três grupos, a Seleção está no B e o mais forte, que pode ser considerado como “grupo da morte”, é o C, onde estão as norte-americanas, as maiores campeãs olímpicas do futebol feminino, com quatro medalhas de ouro. Confira:

Grupo A
Canadá
Chile
Grã-Bretanha
Japão

Grupo B
Brasil
China
Holanda
Zâmbia

Grupo C
Austrália
Estados Unidos
Nova Zelândia
Suécia

O futebol feminino já foi disputado seis vezes em Jogos Olímpicos, sendo quatro vezes conquistado pelos Estados Unidos (1996, 2004, 2008 e 2012), uma vez pela Noruega (2000) e uma pela Alemanha (2016).

O Brasil tem duas medalhas de prata e pode chegar longe sob o comando da sueca Pia Sundhage. Ela venceu medalhas nas três olimpíadas que esteve à frente de seleções: duas de ouro com os Estados Unidos (2008 e 2012) e uma de prata, com a Suécia (2016).

Quando o Brasil joga?

A Seleção começa a caminhada rumo ao ouro inédito nesta quarta e disputa a fase de grupos até o dia 27. O mata-mata começa em 30 de julho, sexta-feira, com as quartas de final, as semifinais serão no segundo dia de agosto, segunda-feira, e a final está marcada para o dia 5, às 23h, horário de Brasília.

Veja quando serão os jogos do Brasil na primeira fase:

China x Brasil, quarta-feira (21/7), às 5h

Holanda x Brasil, sábado (24/7), às 8h

Brasil x Zâmbia, terça-feira (27/7), às 8h30

Jogos para ficar de olho

A primeira fase já conta com alguns jogos que merecem destaque. Além das brasileiras, as partidas dos Estados Unidos sempre são um um espetáculo, bem como das outras seleções que chamam atenção no futebol feminino.

Marque esses jogos no calendário:

Suécia x Estados Unidos, quarta-feira (21/7), às 5h30

Japão x Canadá, quarta-feira (21/7), às 7h30

Suécia x Austrália, sábado (24/7), às 5h30

Estados Unidos x Austrália, terça-feira (27/7), às 5h

Craques

Os destaques da Seleção Feminina dispensam apresentação, mas é sempre bom lembrar que Marta, Formiga, Debinha, Andressa Alves, Bia Zaneratto, Ludmila, Andressinha, Tamires, Érika, Bárbara, Bruna Benites e companhia vestem a amarelinha.

Além das estrelas que temos o prazer de ver defendendo o Brasil, há outros grandes nomes que dão show dentro de campo. Na seleção norte-americana tetracampeã mundial e melhor no ranking da Fifa, estão Tobin Heath, Christen Press, Megan Rapinoe, Alex Morgan, Carli Lloyd e a goleira Alyssa Naeher.

No Chile, a arqueira Christiane Endler, do time feminino do PSG, também aparece em evidência. Ela brilhou no Mundial de 2019, na França, e vai liderar o time em Tóquio. A experiente canadense Christine Sinclair, 38 anos, é a estrela da sua seleção.

A equipe japonesa conta com Sugasawa, Kumagai, do Lyon, a goleadora Tanaka, Hasegawa, do Milan, e a jovem Hayashi, de 23 anos. A seleção da Grã-Bretanha tem nomes já conhecidos da Inglaterra que disputou a Copa de 2019: Lucy Bronze, ex-Lyon e atual Manchester City, Steph Houghton, também do City, Jill Scott, Rachel Daly, Lauren Hamp e a artilheira Ellen White. Além da escocesa Kim Little e a galesa Sophie Ingle.

O time holandês tem a jovem estrela Vivianne Miedema, do Arsenal, de 24 anos, a goleira Sari van Veenendaal, Merel van Dongen, do Atlético de Madrid, Stefanie van der Gragt, do Barcelona, Sherida Spitse, a goleadora Danielle van de Donk, ex-Arsenal, recém-contratada pelo Lyon, a outra artilheira Lieke Martens, do Barcelona — marcou 20 gols em 36 partidas em 2020/21 — e Shanice van de Sanden, ex-Lyon.

A China será liderada por Wang Shuang. Na jovem seleção da Zâmbia, onde as jogadoras mais velhas têm 26 anos, as fichas estão sendo depositadas na jogadora de 21, a artilheira Barbra Banda.

A Suécia tem o elenco cheio de grandes nomes e é uma das favoritas. A artilheira do Real Madrid, Asslani é uma delas, além de Jakobsson, ex-Real e recém-contratada pelo Bayern de Munique, Lina Hurtin, da Juventus, Olivia Schough, Caroline Seger, Emma Kullberg e a experiente goleira Lindahl, de 38 anos.

O destaque da Nova Zelândia é a zagueira Abby Erceg. A Austrália tem a estrela e artilheira Sam Kerr, do Chelsea — foram 27 gols em 35 jogos em 2020/21 —, Kyah Simon e a goleira do Arsenal, Lydia Williams.

Palpite do Metrópoles

No futebol feminino, além de se classificarem os dois melhores de cada grupo, passam também os dois melhores terceiro colocados. No grupo da Seleção Brasileira, a principal adversária será a Holanda. As brasileiras vão brigar com as jogadoras do Laranja Mecânica pela liderança do conjunto e essas devem ser as duas equipes que passarão para as quartas de final no grupo B.

Voltando para o A, a liderança deve ser da seleção da Grã-Bretanha e o segundo lugar fica em aberto. O Canadá é favorito entre Chile e Japão, mas tudo pode acontecer. No Grupo C, o lugar mais alto será, incontestavelmente, das norte-americanas, e a segunda vaga deve ficar para as suecas, que devem brigar com as australianas.

Quer ficar por dentro de tudo que rola no mundo dos esportes e receber as notícias direto no seu Telegram? Entre no canal do Metrópoles.

Mais lidas
Vídeos
Últimas notícias