O verdadeiro MVP: uma análise do novo contrato histórico de Patrick Mahomes

A renovação do MVP do último Super Bowl pode colocá-lo acima de astros como LeBron James para se tornar o atleta mais bem pago do esporte

atualizado 15/10/2020 11:46

David Eulitt/Getty Images

Em sua carreira, Patrick Mahomes fez coisas jamais vistas na NFL. Agora ele está fazendo história fora de campo também.

O MVP do último Super Bowl assinou uma renovação de contrato de US$ 450 milhões com o Kansas City Chiefs que estraçalhou recordes não apenas na NFL, mas entre todos os esportes.

O acordo, que tem duração de 10 anos e começa oficialmente em 2022, verá Mahomes ganhar uma média de US$ 45 milhões por ano e até US$ 503 milhões no total se ele alcançar todos os incentivos, que incluem bônus por aparições no Super Bowl e prêmios de MVP da NFL.

É diferente de qualquer outro contrato na história, tanto em termos de salário quanto na duração do acordo, como a Betway mostra abaixo.

O recorde anterior de maior contrato da liga era a renovação de Matt Ryan com o Atlanta Falcons em 2018, avaliada em meros US$ 150 milhões por cinco anos.

No ano passado, o quarterback do Seattle Seahawks Russell Wilson assinou uma renovação de US$ 140 milhões por quatro anos, que significou o maior salário anual médio na história da NFL.

Esses contratos viraram nanicos após o novíssimo acordo de Mahomes, que é o favorito nas casas de apostas online da NFL para ser nomeado o MVP da liga nesta temporada.

Sua renovação é apenas o segundo contrato da história da NFL com pelo menos dez anos de duração. O primeiro foi o acordo de 10 anos e US$ 130 milhões de Michael Vick com o Atlanta Falcons, assinado em 2005.

Na verdade, é apenas o terceiro contrato na história da liga com mais de seis anos de duração.

E não são só jogadores da NFL que Mahomes está ultrapassando em salários.

O beisebol teve muitos contratos gigantes nos últimos anos, mas o maior da história da MLB é o que Mike Trout assinou com o Los Angeles Angels em 2019, que vale US$ 427 milhões por 12 anos – uma média de US$ 35,5 milhões por temporada.

É justo dizer que Mahomes fez por merecer seu contracheque.

O jovem de 24 anos tem sido espetacular em apenas duas temporadas completas na NFL. Após um jogo como titular em 2017, seu ano de calouro, ele foi nomeado MVP da liga em 2018 e liderou a liga com 50 passes para touchdown.

Na última temporada, suas atuações heroicas nos playoffs levaram o Kansas City Chiefs a seu primeiro título de Super Bowl em 40 anos.

Mahomes deu um retorno gigante para o contrato de US$ 16,4 milhões que assinou como escolha de primeira rodada no draft de 2017.

Ele ficou no topo do ranking de custo-benefício da NFL da Spotrac – que leva em conta o salário e a performance do jogador – com sua campanha em 2018 e ficou em quinto em custo-benefício entre quarterbacks na última temporada, apesar de não jogar em parte da temporada regular por causa de uma lesão.

Mahomes recebeu US$ 13,72 milhões até agora – uma média de US$ 4,6 milhões por temporada, US$ 443 mil por jogo e US$ 181 mil por touchdown.

Colocando esses números em contexto, Michael Trubisky – que foi selecionado oito posições antes de Mahomes no draft da NFL em 2017 – custou ao Chicago Bears um total de US$ 24,63 milhões. Isso equivale a US$ 8,2 milhões por temporada, US$ 601 mil por jogo e US$ 513 mil por touchdown.

Mahomes não vai liderar os rankings de custo-benefício tão cedo. Contudo, ele ruma para ser o mais bem pago na história dos esportes americanos.

O ex-quarterback do New York Giants Eli Manning ganhou mais dinheiro do que qualquer outro atleta na história da NFL, recebendo um total de US$ 252,3 milhões ao longo de 16 anos de carreira.

O astro do Los Angeles Lakers LeBron James recebeu US$ 306,9 milhões em 17 anos na NBA, enquanto o ex-primeira base da MLB Albert Pujols lidera o beisebol com um total de US$ 309,2 milhões em 21 temporadas.

Mesmo sem levar em conta os incentivos incluídos no contrato, o acordo de Mahomes tem o potencial para colocá-lo acima de todos os outros por mais de US$ 100 milhões quando ele tiver 36 anos.

Há uma boa chance de ele nem chegar ao fim deste contrato ou ganhar o meio bilhão de dólares que pode receber em potencial.

Apenas US$ 141,5 milhões são garantidos, e os Chiefs podem liberá-lo sem multa depois da temporada de 2024.

A não ser em caso de uma lesão catastrófica, porém, é quase inconcebível que o Kansas City corte de seu elenco um jogador que parece destinado a dominar a NFL muito além dos 30 anos de idade.

Como a grande maioria do dinheiro de Mahomes está presa em bônus por fazer parte do elenco em vez de incluída no salário-base, ele continuará ganhando quantidades enormes de dinheiro com este contrato enquanto continuar como quarterback dos Chiefs.

O cenário mais provável é que o contrato seja restruturado no futuro, adicionando mais dinheiro garantido para Mahomes e dando a Kansas City mais flexibilidade em termos de teto salarial.

Se sua carreira se desenrolar como a de grandes da história da NFL como Tom Brady e Drew Brees, ambos ainda ganhando US$ 25 milhões por ano em seus 40, há também uma grande chance de que Mahomes assine contratos lucrativos quando este acordo recém-renovado chegar ao fim.

Uma coisa é certa: enquanto Mahomes estiver saudável, ele será muito bem compensado por ser a maior estrela da NFL.

E se ele continuar a conquistar campeonatos para os Chiefs, valerá cada centavo.

Vídeos
Últimas notícias