Veja os números e curiosidades da primeira fase do Mundial Sub-17

Fifa faz balanço dos 36 primeiros jogos com artilharia, jogador mais jovem a marcar um gol, a defesa menos vazada, recordes e muito mais

Lucas Bolzan/MetrópolesLucas Bolzan/Metrópoles

atualizado 04/11/2019 17:47

Brasília, Goiânia e Vitória sediaram 36 partidas até a classificação das 16 seleções que começam a disputar as oitavas de final do Mundial Sub-17 nesta terça-feira (05/11/2019). Entre os destaques da competição de 2019 está a alta média de gols. Com 123 bolas na rede, até o momento a Copa no Brasil está no top 5 do histórico de melhores médias dos Mundiais: 3,42.Os primeiros colocados são o Egito 1997 e a Finlândia 2003, com 3,66 de média.

Também foi nesta primeira fase da competição no Brasil que saiu o gol mais rápido da história do Mundial Sub-17. O sul-coreano Paik Sanghoon precisou de apenas 52 segundos para fazer 1 x 0 diante do Chile na última rodada do Grupo C.

A seguir, veja outras curiosidades do Mundial no Brasil:

4
são os gols que soma o australiano Noah Botic, líder até o momento da corrida pela Chuteira de Ouro da adidas no Brasil 2019. Ele é seguido de perto pelo senegalês Pape Sarr, o mexicano Efraín Álvarez, o italiano Degnand Gnonto e o nigeriano Ibrahim Said, todos com três gols.

3,42
é a média de gols que a primeira fase deixou. Foram 123, um número considerável que pode ser confirmado por comparação: até o momento o Brasil 2019 está no top 5 histórico de melhores médias de gols dos Mundiais Sub-17. Os primeiros colocados são o Egito 1997 e a Finlândia 2003, com 3,66 de média.

0
é o número de gols sofridos pelo Japão, única equipe que conseguiu manter a sua meta invicta nos três jogos. Uma sólida defesa e o goleiro Zion Suzuki, de ascendência ganesa, são os responsáveis. Além disso, o Japão soma 367 minutos consecutivos sem levar gols, incluindo a sua participação na Índia 2017.

3
é o número de assistências que tem o paraguaio Rodrigo López, meia do Libertad. Ele é o melhor no quesito no torneio até agora.

15
anos, 11 meses e 23 dias tinha Degnand “Willy” Gnonto ao marcar diante das Ilhas Salomão na primeira rodada do Grupo F. O atacante da Internazionale se transformou assim no mais jovem jogador a balançar as redes no Brasil 2019.

52
segundos apenas haviam sido disputados quando o sul-coreano Paik Sanghoon fez 1 a 0 diante do Chile na última rodada do Grupo C. Foi o quinto gol mais veloz da história do torneio, longe dos nove segundos que o brasileiro Fabinho levou para abrir o placar contra a Nova Zelândia na República de Coreia 2007.

14
é a quantidade de pênaltis cobrados nestes 36 primeiros encontros. Doze deles acabaram nas redes, enquanto os restantes foram espetacularmente defendidos pelos goleiros. O italiano Marco Molla frustrou o mexicano Israel Luna e o americano Chituro Odunze parou o chute do holandês Kenneth Taylor. Coincidentemente, os dois pularam para a sua esquerda.

8
Os 8 a 0 do México sobre as Ilhas Salomão, que valeram ao vencedor a classificação para as oitavas, é o terceiro resultado mais amplo da história do torneio, empatados com os 8 a 0 da Nigéria sobre o Canadá no Japão 1993. A referência continua sendo os 13 a 0 da Espanha sobre a Nova Zelândia no Egito 1997.

115
é a quantidade de cartões amarelos mostrados pelos árbitros, em uma média de 3,19 por jogo. Também foram exibidos oito vermelhos.

700
A vitória do Paraguai sobre a Itália no encerramento do Grupo F marcou o 700º jogo da história do torneio, que começou como um Mundial Sub-16 em 1985.

2.100
gols na história do torneio foi a marca alcançada quando o sul-coreano Jeong Sangbin balançou as redes da França. A soma geral no fim da primeira fase do Brasil 2019 é de 2.167 gols.

14
são os anos que os Países Baixos demoraram para voltar às oitavas de final. A última vez havia sido no Peru 2005, quando acabaram no terceiro lugar. De lá para cá, foram eliminados na fase de grupos da Nigéria 2009 e do México 2011.

Veja os jogos das oitavas de final do Mundial Sub-17
Terça-feira (05/11/2019)
16h30 Angola x Coreia do Sul (Goiânia)
20h Nigéria x Holanda (Goiânia)

Quarta-feira (06/11/2019)
16h30 Espanha x Senegal (Goiânia)
16h30 Japão x México (Brasília)
20h França x Austrália (Goiânia)
20h Brasil x Chile (Brasília)

Quinta-feira (07/11/2019)
20h Paraguai x Argentina (Vitória)
16h30 Equador x Itália (Vitória)

Últimas notícias