Torcida do Brasiliense protesta e árbitro impede faixas

Partida entre Real Brasília x Brasiliense ficou paralisada por oito minutos, até que os torcedores retirassem as faixas do alambrado

atualizado 02/03/2020 17:34

O Brasiliense foi até ao estádio Ciro Machado – Defelê, na cidade da Vila Planalto –, enfrentar o Real Brasília, no último domingo (01/03/2020), e conquistou uma importante vitória por 1 x 0, que colocou o Jacaré na vice-liderança do Candangão 2020. Diante de toda festa da reinauguração do estádio, uma situação inusitada ocorreu aos 10 minutos. O árbitro Marcos Antônio paralisou o duelo por conta de duas faixas de protesto exibidas pela torcida do Brasiliense, em repúdio a Christiano Gayo, juiz que compôs a arbitragem no duelo contra o Paysandu, na primeira fase da Copa do Brasil.

As duas faixas mostravam os dizeres “Cristiano Gayo safado” e “Cristiano Gay, ó”, seguido da imagem de um dedo médio estendido. As mensagens estavam dispostas ao longo do alambrado do estádio e acabaram incomodando a arbitragem, que impediu o livre direito de manifestação dos torcedores, garantido pela Constituição Federal.

Além de ter paralisado a partida, a arbitragem relatou em súmula a situação: “Aos 10 minutos do primeiro tempo a partida foi paralisada em virtude da torcida do Brasiliense estar com duas faixas com os dizeres “Christiano Gay, o Safado” e “Christiano Gay, o (sinal de dedo)” com ofensas, inclusive homofóbicas, ao árbitro da CBF e FFDF, permanecendo a partida 10 minutos paralisada enquanto era providenciada a retirada das faixas.”

Situação não é inédita no Brasil

Essa ação ocorreu pela primeira vez em jogos oficiais no Distrito Federal, chamando atenção de muitas pessoas que acompanhavam a partida. A situação e a preocupação da arbitragem em relação ao livre direito de manifestação dos torcedores, porém, já ocorreu em outros estádios pelo Brasil.

O caso principal foi no ano passado, durante o Brasileirão, onde a arbitragem paralisou a partida entre Fortaleza x Ceará, na Arena Castelão, solicitando a retirada de uma faixa de protesto da torcida do Fortaleza que dizia “Parem. VAR já chega”, alegando “conduta imprópria” dos torcedores.

Outro caso “famoso” no futebol nacional ocorreu em jogo do Corinthians, quando a torcida protestou contra o preço dos ingressos com faixas “Futebol refém da Rede Globo”, “Ingresso mais barato”.

Vídeos
Últimas notícias