Time de goleiro Bruno denuncia carro apedrejado e ameaças após intoxicação

Por meio das redes sociais, o time acreano informou que funcionários do restaurante onde os jogadores se alimentaram têm sido ameaçados

atualizado 19/10/2020 10:23

Time do goleiro Bruno em jantarReprodução

Depois de revelar a internação de 20 jogadores por causa de uma intoxicação alimentar na madrugada do último domingo (18/10), o Rio Branco-AC, time do goleiro Bruno, ex-jogador do Flamengo condenado pelo homicídio da modelo Eliza Samúdio, denunciou uma série de crimes provocados após a divulgação do caso.

Por meio das redes sociais, o time acreano informou que funcionários do restaurante onde os jogadores se alimentaram têm sido ameaçados. O clube também relatou que o carro de um dos donos do estabelecimento chegou a ser apedrejado.

“Fomos informados, também, de que Alessandro e os funcionários do restaurante têm recebido ameaças anônimas pelas redes e por ligações telefônicas, bem como um ato de apedrejamento de um automóvel do dono. Afirmamos aqui o nosso repúdio a tais atos e a não compactuação com quaisquer ações feitas contra o estabelecimento e sua equipe. Prestamos e pedimos respeito ao @tropicosresto e a todos os trabalhadores do mesmo”, diz a nota do Rio Branco-AC.

O time também ressaltou que não fez acusações sobre culpados no episódio de intoxicação alimentar. O caso está entregue à Polícia Civil de Bragança (PA), cidade onde enfrentaria o líder da Série D, o Bragantino (PA). A partida foi adiada pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e ainda não tem nova data.

0

De acordo com a nota oficial emitida pelo Rio Branco-AC, nove jogadores ainda apresentaram quadros agudos de intoxicação na noite de domingo e continuavam internados no hospital. O restante da delegação está hospedada em hotel de Bragança (PA).

Entenda o caso

Vinte atletas da equipe de futebol Rio Branco, do Acre, entre eles o goleiro Bruno foram internados na madrugada de domingo com quadro de intoxicação alimentar.

Os sintomas apresentados pelos integrantes da delegação eram náuseas, vômitos, febre e tontura. Os atletas chegaram a Belém (PA) na noite de sexta-feira (16/10), mas só passaram mal após o jantar de sábado.

Vídeos
Últimas notícias