Técnico Valdir Espinosa morre aos 72 anos

No currículo, um mundial pelo Grêmio, um carioca pelo Botafogo e o bicampeonato do Candangão com o Brasiliense em 2004/2005

Vitor Silva/Botafogo

atualizado 27/02/2020 13:58

O técnico Valdir Espinosa morreu na manhã desta quinta-feira (27/02/2020), vítima de complicações pós-operatórias no intestino. Em seu currículo, um título mundial pelo Grêmio, em 1983, e um carioca, pelo Botafogo, em 1989, que tirou o alvinegro de uma fila de 21 anos.

Mesmo aos 72 anos, Espinosa não tinha planos de se aposentar. Desde dezembro do ano passado, ele exercia a função de gerente técnico do Botafogo.

Gaúcho de Porto Alegre, Valdir Espinosa foi formado na base do Grêmio. Ele estreou no profissional em 1968, quando foi campeão estadual. Era lateral direito, com passagens por Vitória, CRB e Esportivo-RS.

Além de Grêmio e Botafogo, em 40 anos como treinador, trabalhou no Flamengo, Fluminense, Vasco, Corinthians, Palmeiras e Portuguesa. Treinou também clubes na Arábia Saudita, no Paraguai e Japão. Em 2005, treinou o Brasiliense e levou o Jacaré ao título do Candangão, além de ter comandado o clube em alguns jogos da série A do Brasileirão.

Últimas notícias