*
 

Zlatko Dalic é um daqueles treinadores que fala o que pensa. Um dia depois de colocar a Croácia na final da Copa do Mundo da Rússia, o técnico disse considerar um “milagre” sua seleção estar entre as duas melhores do torneio, criticou parte da imprensa, afirmou que Modric é o melhor jogador do Mundial, que Cristiano Ronaldo, Neymar e Messi “já foram para casa e estão na praia”, e revelou  ainda não ter ideia do time que vai mandar a campo no domingo, contra a França. “Os jogadores estão exaustos. Mas isso não é desculpa. Vamos com tudo.”

“Ontem (quarta) nós pegamos o caminho mais difícil. Somos o único time da Copa que vai jogar oito jogos. Isso é muito difícil. Porém, quanto mais difícil as circunstâncias, melhor nos jogamos futebol. A França tem um dia a mais, mas nós vamos descansar e nos recuperar a tempo. Não há desculpas, isso é uma final de Copa do Mundo. Temos que dar tudo, estar prontos, estar preparados. É uma chance de uma vida. Tem sido difícil para nós, mas vamos achar a força e a motivação”, afirmou.

O treinador contou que ele e seus jogadores encararam como falta de respeito a forma como a imprensa e parte do elenco da Inglaterra se comportou antes da semifinal desta quarta-feira. “Nós respeitamos os rivais e esperamos isso de volta. Talvez não tiveram o respeito conosco que nós merecemos, o time inglês e a mídia. Mas isso é futebol, isso é o esporte. Talvez esse elemento tenha existido. Mas nós estávamos motivados para além disso. Nós queríamos ir para a final e jogar por nossos torcedores.”

Durante sua entrevista, mais uma vez o técnico valorizou demais o trabalho de seus jogadores e aproveitou para falar sobre a falta de condições de trabalho no futebol da Croácia. “Somos um dos menores países da Copa junto com o Uruguai. Não tínhamos, há três meses, um estádio adequado para receber nossas partidas pela Liga das Nações (o torneio europeu acontecerá em outubro), contra Inglaterra e Espanha. Não temos infraestrutura para torneios deste porte. É um grande problema que eu gostaria de destacar. Nas condições trabalhadas, nos traz grande alívio o que alcançamos. Algo precisa ser transformado. Se não for agora, quando será?”, criticou.

O técnico foi perguntado se considerava Modric o melhor jogador da Copa do Mundo, já que os principais candidatos apontados antes do início do torneio não estão mais na competição. “Modric vive seu grande momento. Há anos, é um dos melhores do mundo, ganhou tudo pelo Real Madrid e agora pode coroar sua carreira vencendo também com a seleção neste que deve ser seu último Mundial. Isso tudo na melhor fase de sua carreira. Ele sabe o valor dele e se doa pela seleção como poucos de seu nível fazem. Ele é capaz de dar uma esticada para ganhar a bola no fim de uma prorrogação, mostrou seu caráter e desejo.”

O treinador comparou o craque de seu time com outros que disputaram a Copa. “Cristiano Ronaldo, Neymar, Messi, era normal falar deles antes da Copa. Eles foram para casa, estão na praia. E outros ficaram no campeonato, especialmente Luka Modric. Ele dá piques no minuto 115, ele volta para a defesa, ele lidera a defesa. Ele é o homem do torneio, não importa quem fique com o troféu.”