Sornoza pede mais chutes a gol do Corinthians

O próximo compromisso será contra o Flamengo, neste domingo (21/07/2019), novamente na Arena Corinthians, em São Paulo, pela 11.ª rodada

Miguel Schincariol/Getty ImagesMiguel Schincariol/Getty Images

atualizado 17/07/2019 16:25

Com muitas tentativas, mas pouca efetividade na conclusão das jogadas, o Corinthians sofreu para derrotar o CSA por 1 x 0, no último domingo (14/07/2019), na retomada do Campeonato Brasileiro após a parada para a disputa da Copa América. O próximo compromisso será contra o Flamengo, neste domingo (21/07/2019), novamente na Arena Corinthians, em São Paulo, pela 11.ª rodada, e a ideia é, segundo o meia equatoriano Sornoza, mais ofensividade e chutes a gol.

O jogador admite as dificuldades ofensivas contra o CSA, mas crê que o time está no caminho certo para resolver esse problema. “Para a gente é muito importante ganhar em casa. Contra o CSA os caras só procuraram marcar, foi difícil entrar. Conseguimos o gol e a vitória nos deu tranquilidade”, afirmou em entrevista coletiva, nesta quarta-feira, no CT Joaquim Grava, em São Paulo

“Agora, contra o Flamengo, vamos procurar chutar mais de fora. Vamos fazer o nosso jogo independentemente do que acontece com o Flamengo. Para nós não muda nada, vamos fazer um grande jogo em casa e, se Deus quiser, vencer”, disse o equatoriano.

O treinamento desta quarta-feira foi o primeiro com os titulares à disposição – na terça, no jogo-treino contra o Juventus, eles só fizeram trabalhos na academia e os reservas entraram em campo E tiveram de enfrentar o técnico Fábio Carille, zagueiro nos tempos de jogador, que colocou o colete do time reserva para simular uma situação de jogo diante da equipe que deve começar contra o Flamengo.

Sornoza revelou que todos se surpreenderam com a atitude do treinador, mas não perdeu a chance de “cornetar o chefe”. “Foi surpresa, a gente não esperava ele treinar. Mas foi bom para todo mundo. É bom, hein? Treinador é bom, mas com zagueiro vou te falar (risos). Treino foi pegado. Não dava (ir para cima), depois o cara tira do time (risos)”, afirmou.

O time de Carille foi o seguinte: Walter; Michel Macedo, João Victor, Fábio Carille e Gabriel; Renê Júnior e Regis; Mateus Vital, Jadson e Everaldo. A equipe titular foi a mesma que iniciou diante do CSA com: Cássio; Fagner, Manoel, Gil e Danilo Avelar; Ralf e Junior Urso; Pedrinho, Sornoza e Clayson; Vagner Love.

Em transição física após tratarem dores nas coxas, o volante Ramiro e o atacante Gustavo participaram de um trabalho supervisionado por preparadores físicos em outro campo.

Últimas notícias