Sem sequer estrear na Série B, Cruzeiro pode cair para a 3ª divisão

O clube acumula R$ 70 milhões em dívida na Fifa e está sendo denunciado pela falta de R$ 5,3 milhões a um clube dos Emirados Árabes

atualizado 04/08/2020 15:22

Cruzeiro torcidaPedro Vilela/Getty Images

O clube dos Emirados Árabes Al Wahda denunciou o Cruzeiro na Fifa por não ter recebido R$ 5,3 milhões que tem direito pelo empréstimo do volante Denílson, ainda em 2016, e pede o rebaixamento do clube para a Série C do Brasileirão.

A questão foi apresentada ao clube pelo presidente, Sérgio Santos Rodrigues, nessa segunda-feira (3/8), durante reunião com conselheiros. A principal opção para solucionar dívidas na Fifa e este problema com o Al Wahda seria a venda de um imóvel localizado em frente à sede campestre do Cruzeiro, na Pampulha.

Com o dinheiro da vazão deste imóvel, o clube evitaria outra punição da entidade. A Raposa já foi penalizado pela Fifa com a perda de seis pontos na Série B pela falta de pagamento aos árabes. O prazo final para a quitação era até 19 de maio deste ano, após todas as instâncias da Fifa terem sido acionadas em 4 anos de disputa na Justiça.

“Nosso grande objetivo é não fazer loucura, não ter que fazer correria se a gente receber essa carta que pode causar a pior punição”, desabafou o presidente na reunião. Caso não seja feito o pagamento da quantia pedida pelo Al Wahda, R$ 5,3 milhões, o risco de queda é real.

Além desta, o clube ainda acumula R$ 70 milhões de dívida com outras equipes na Fifa. Algumas já foram quitadas, como o pagamento ao Zorya (Ucrânia), pela compra do atacante Willian, que hoje atua no Palmeiras. Outro débito, com o Independiente del Valle, de R$ 9 milhões, pela transferência do zagueiro Kunty Caicedo, foi parcelada em 18 vezes e devidamente paga.

Vídeos
Últimas notícias