Sem celular e coagidas a beber: acusação detalha estupros de ex-City

Julgamento do lateral esquerdo Benjamin Mendy começou nesta segunda (15/8). Promotor explicou estratégia usada por jogador e amigo

atualizado 15/08/2022 13:07

Mendy Manchester CityMatt McNulty - Manchester City/Manchester City FC via Getty Images

O julgamento do lateral esquerdo Benjamin Mendy, que atuava no Manchester City, iniciou oficialmente nesta segunda-feira (15/8). O jogador é acusado de oito supostos estupros e de uma agressão sexual.

Mendy negou os crimes, mas está sendo acusado pela promotoria de ser “um predador” que “criou situações” para poder estuprar e agredir sexualmente mulheres ao lado do amigo Louis Saha Matturie.

“A acusação é simples. Tem pouco a ver com futebol. Na verdade, é mais um capítulo de uma história muito antiga: homens que estupram e agridem sexualmente mulheres porque pensam que são poderosos e acham que podem se safar”, declarou o promotor Timothy Cray na abertura do julgamento.

“Essas mulheres eram descartáveis: apenas coisas que eram usadas para o sexo e depois deixadas de lado. Esse foi o efeito das escolhas deliberadas e planejadas feitas pelos réus”, continuou Cray.

De acordo com o promotor, Benjamin Mendy e Louis Matturie  estavam “preparados para cometer graves crimes sexuais” e não aceitavam “um não como resposta”. Timothy Cray afirmou que um dos trabalhos do amigo de Mendy era encontrar mulheres jovens e “criar situações nas quais elas pudessem ser estupradas e agredidas sexualmente”.

A acusação também apontou para os métodos utilizados pelos réus, que levavam as mulheres para a casa do lateral, em Cheshire, e, segundo as vítimas, roubavam seu telefones. As mulheres alegam que foram coagidas a ficar bêbadas e que foram trancadas em quartos com fechaduras especiais.

A defesa, entretanto, relatou que todas as mulheres deram seu consentimento para ter relações sexuais, o que a promotoria não acredita.

“A promotoria aceita que algumas mulheres consentiriam em fazer sexo com Mendy, mas nem todas o fizeram. O grande salto que Mendy deu foi querer que todas as mulheres que fossem ao seu endereço estivessem disponíveis para o sexo. Saha compartilhava dessa mentalidade. Juntos, eles se convenceram de que o consentimento livre e informado ao sexo simplesmente não importava”, concluiu Cray.

Mais lidas
Vídeos
Últimas notícias