Racismo, homofobia e machismo: após polêmica, técnico da NFL abandona o cargo

Jon Gruden era o head coach do Las Vegas Raiders e abandonou o cargo após a descoberta das ofensas

atualizado 12/10/2021 12:41

Ethan Miller/Getty Images

Uma investigação sobre uma suspeita de assédio sexual no Washington Football Team, levou a polícia a descobrir um grande escândalo envolvendo o agora ex-técnico do Las Vegas Raiders, time da NFL, Jon Gruden.

Após terem encontrado um e-mail com xingamentos racistas entre o coach e Bruce Allen, que era o presidente do Washington, os investigadores decidiram ir mais a fundo e encontraram ofensas homofóbicas e machistas. A informação é do jornalista Tom Pelissero, da NFL Network.

Em outra conversa, eles trocaram fotos de mulheres de topless, incluindo algumas garotas de torcidas daquela equipe. Gruden também criticou a contratação de árbitras para o esporte.

Em 2014, também por e-mail, o técnico afirmou que Roger Goodell, comissário da liga, obrigou o Rams a draftarem Michael Sam, que se tornou o primeiro jogador gay a ser contratado dessa maneira. A mensagem continha muitos termos homofóbicos.

Por fim, pouco tempo mais tarde, Gruden disse que dois atletas que se ajoelharam em forma de protesto contra atos racistas antes de uma partida deveriam ser demitidos.

Após o caso vir à tona, Joe Gruden pediu demissão do Las Vegas Raiders. “Eu pedi demissão do cargo de head coach do Las Vegas Raiders. Eu amo os Raiders e não quero ser uma distração. Obrigado aos jogadores, treinadores, staff e torcida dos Raiders. Peço desculpas, nunca quis machucar ninguém” explicou o treinador em nota.

Quer ficar por dentro de tudo que rola no mundo dos esportes e receber as notícias direto no seu Telegram? Entre no canal do Metrópoles: https://t.me/metropolesesportes

Vídeos
Últimas notícias