*
 

Em 4 de julho de 2014, o lateral-direito Camilo Zúñiga acertou o joelho direito nas costas de Neymar, causou uma lesão na terceira vértebra do craque brasileiro e o tirou da Copa do Mundo de 2014.

Exatos quatro anos depois, o jogador colombiano anunciou a aposentadoria dos gramados por conta de uma lesão crônica no joelho direito.

 

Zúñiga não foi convocado para defender a Colômbia na Copa do Mundo da Rússia, mas revelou a decisão de pendurar as chuteiras no dia seguinte da eliminação da seleção de seu país para a Inglaterra nos pênaltis, por 4 x 3, nas oitavas de final, após empate em 1 x 1 no tempo regulamentar.

O jogador de 32 anos teve como último clube na carreira o Atlético Nacional, que o revelou para o futebol em 2005. Ele foi contratado no início do ano, na tentativa de recuperar o problema crônico. “Foram muitos anos sofrendo, tratando de voltar bem. Mas só eu que sentia as dores. Para treinar precisava tomar anti-inflamatórios e injeções”, afirmou o jogador ao site oficial do clube colombiano.

Sonho
Em sua segunda passagem, Zúñiga disputou apenas cinco partidas. “Sinto que cheguei a 40% do que jogava, mas cumpri meu sonho de retornar a este clube. Estou tranquilo por me aposentar em casa, onde me deram a oportunidade de mostrar meu futebol e que me levou para a Europa”, afirmou.

Em 2008, Zúñiga foi negociado com o Siena, da Itália, onde permaneceu por uma temporada. No ano seguinte, foi contratado pelo Napoli, onde permaneceu até o fim de 2017. Nesse período, chegou a ser emprestado ao Bologna, em 2016, e ao Watford, da Inglaterra, em 2016/2017. (Com informações da Agência Estado)