No Grêmio, Éverton quer jogar logo e evita comparação com Cebolinha

O meia-atacante de 31 anos comemorou a chance de poder trabalhar com Renato Gaúcho

atualizado 20/08/2020 13:49

Apresentado oficialmente pelo Grêmio no Rio de Janeiro, onde o time enfrentou o Flamengo na quarta-feira e jogará neste domingo (23/8) contra o Vasco, o meia-atacante Éverton foi apresentado como reforço para o técnico Renato Gaúcho depois de uma troca com o São Paulo pelo atacante Luciano. Sua expectativa é poder estrear logo pelo clube gaúcho, se possível já neste final de semana, pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro.

“Sobre o jogo contra o Vasco, vai depender da conversa com o treinador. Estou me sentindo bem. Vinha treinando no São Paulo normal, então fisicamente estou bem”, disse Éverton, que assinou contrato com o Grêmio até dezembro de 2022.

O meia-atacante de 31 anos comemorou a chance de poder trabalhar com Renato Gaúcho. “O professor Renato, não tive contato pessoalmente ainda. Mas é um treinador que sempre tentou a minha contratação, desde a época do Flamengo. É um cara vencedor, está há muito tempo no Grêmio. Foi um craque, agora um grande treinador. Estou muito feliz de trabalhar com ele, acho que foi essencial na minha contratação”, afirmou.

O que Éverton não quer é qualquer comparação com seu xará, Everton Cebolinha, que fez história no Grêmio e recentemente foi negociado com o Benfica, de Portugal, a pedido do técnico português Jorge Jesus. O meia-atacante promete bastante empenho para chegar perto do que o agora ex-atleta gremista fez.

“Trabalhando bastante. Ter que correr bastante. O Cebolinha tem a história dele no Grêmio, isso é inapagável, jogador super campeão, de seleção brasileira. Fico feliz de estar no Grêmio e que teve um craque aqui também. Mas tem vários jogadores que tem que elogiar também. O Pepê, que fez uma grande partida contra o Flamengo, uma promessa grande”, comentou.

O Grêmio ficou com 50% dos direitos econômicos de Éverton, enquanto cedeu ao São Paulo os 50% que tinha de Luciano. A negociação foi uma troca simples, sem investimentos por parte dos clubes. “Foi muito fácil. Desde o primeiro contato que tive, dei o OK. Minha família está bastante contente. O Grêmio é uma equipe gigante, nos últimos anos vem conquistando títulos. Estou muito feliz, acho que já falei essa palavra muitas vezes na coletiva (risos). Agora é trabalhar”, completou.

Vídeos
Últimas notícias