Multicampeão no São Paulo, Richarlyson assume bissexualidade

Ex-jogador, que também tem passagem pela Seleção Brasileira, faz história ao se tornar o primeiro a se assumir bissexual

atualizado 24/06/2022 16:12

Getty Images

Após quase 20 anos como profissional do futebol, o ex-jogador Richarlyson só se sentiu à vontade para assumir a sua bissexualidade anos após a sua aposentadoria. Em entrevista ao podcast Nos Armários dos Vestiários, série jornalística que detalha a homofobia e o machismo no futebol brasileiro, o atleta, que tem passagens por São Paulo e pela Seleção Brasileira, falou pela primeira vez sobre o assunto.

“A vida inteira me perguntaram se sou gay. Eu já me relacionei com homem e já me relacionei com mulher também. Só que aí eu falo hoje aqui e daqui a pouco estará estampada a notícia: ‘Richarlyson é bissexual’. E o meme já vem pronto. Dirão: ‘Nossa, mas jura? Eu nem imaginava.’ Cara, eu sou normal, eu tenho vontades e desejos. Já namorei homem, já namorei mulher, mas e aí? Vai fazer o quê? Nada. Vai pintar uma manchete que o Richarlyson falou em um podcast que é bissexual. Legal. E aí vai chover reportagens, e o mais importante, que é pauta, não vai mudar, que é a questão da homofobia. Infelizmente, o mundo não está preparado para ter essa discussão e lidar com naturalidade com isso”, afirmou o ex-jogador e atual comentarista.

Com a declaração, Richarlyson se torna o primeiro jogador que atuou na Série A do Campeonato Brasileiro e na Seleção Brasileira a falar sobre o assunto abertamente. Antes dele, no Brasil, outro exemplo foi o de Messi, goleiro que atuou no Palmeira de Goianinha, que falou sobre sua sexualidade em 2010.

Apesar da carreira vencedora e de sempre ter sido um exemplo como profissional, Richarlyson sempre conviveu com o preconceito, inclusive da própria torcida. No São Paulo, venceu três Brasileiros consecutivos, uma Libertadores e um Mundial, mesmo assim, parte da torcida ignorava seu nome na hora de gritar a escalação.

Início do debate

O debate sobre a sexualidade de Richarlyson começou em 2007, quando José Cyrillo Júnior, então dirigente do Palmeiras, insinuou em rede social que o jogador seria gay. Richarlyson, então, registrou uma queixa-crime contra o cartola, que se desculpou publicamente.

O juiz Manoel Maximiniano Junqueira Filho indeferiu o pedido de forma infame. Ele alegou que não seria razoável aceitar homossexuais no futebol brasileiro porque prejudicaria o pensamento da equipe e citou, na sentença, que futebol é coisa de macho, não homossexual.

A série

Richarlyson é o primeiro entrevistado do podcast investigativo Nos Armários dos Vestiários, do GE, produzido pela Feel The Match. A série mergulhará fundo em histórias de vida afetadas pelo preconceito no futebol brasileiro. Com depoimentos e revelações inéditas de jogadores, árbitros, ex-atletas, torcedores e outros personagens do universo da bola, a produção será apresentada pela jornalista Joanna de Assis e pelo influenciador William de Lucca.

“O futebol tem um papel importante nisso e nós, que trabalhamos nele, precisamos evolui-lo para além da tecnologia. É papel de todos que estamos nessa indústria. O esporte começou como algo restrito aos homens, numa sociedade que reproduzia esses privilégios naquela época. Mas o mundo, ainda bem, não é mais assim. Contar essas histórias e dar visibilidade a elas é combater a intolerância e o preconceito”, declara Bruno Maia, sócio-fundador da Feel The Match.

A produção está disponível no site do ge, no Globoplay e nas demais plataformas de áudio.

Mais lidas
Vídeos
Últimas notícias