Menina de 1 ano com doença grave recebe parte da multa de Ronaldinho Gaúcho

O ex-jogador entrou em acordo com a Justiça paraguaia na última segunda-feira e US$ 30 mil serão para ajudar no tratamento de Bianca Patiño

atualizado 28/08/2020 12:11

Bianca PatiñoReprodução/Facebook Todos somos Bianca

Bianca Patiño Maiz, menina paraguaia de 1 ano e 7 meses que possui a rara e grave doença AME (Atrofia Muscular Espinhal), receberá parte da multa paga por Ronaldinho Gaúcho e seu irmão, Roberto Assis, para deixar o Paraguai.

O caso de Bianca repercutiu internacionalmente após os pais, José María e Tania Maíz, criarem uma campanha para alcançar o dinheiro necessário para comprar o “remédio mais caro do mundo”. O Zolgensma, fármaco que Bianca precisa para tratar a AME, foi criado em 2019 e custa US$ 2,1 milhões (quase R$ 12 milhões).

Dos US$ 200 mil pagos por Ronaldinho e Assis à Justiça paraguaia, US$ 30 mil serão doados à campanha Todos Somos Bianca. De acordo com os pais da criança, a iniciativa de doação para a campanha partiu do próprio ex-jogador, que tomou conhecimento do caso ainda na prisão.

0

 

José María, em entrevista à rádio paraguaia Uno, destacou que recebeu com alegria a notícia da doação. “Foi por obra e graça de Deus que várias portas foram batidas da nossa parte e de outras pessoas. Os tempos de Deus são sempre perfeitos ”, garantiu.

Corrida contra o tempo

O Zolgensma deve ser aplicado em apenas uma dose. Mas outro fator que incomoda os pais de Bianca é a corrida contra o tempo. Isso porque o remédio é indicado para crianças até 2 anos, idade que Bianca completará em dezembro de 2020.

Até o momento, a campanha que conta com participação de artistas e influenciadores digitais arrecadou US$ 655 mil.

No dia 5 de setembro será realizada uma coleta nacional no Paraguai, com intenção de popularizar ainda mais a campanha Todos Somos Bianca. O objetivo é arrecadar o máximo de contribuições e doações possíveis.

De volta ao Brasil

Presos após quase seis meses no Paraguai, acusados de utilizar documentos faltos para entrar no país, Ronaldinho Gaúcho e seu irmão, Roberto Assis, retornaram ao Brasil na última terça-feira (25/8). A decisão favorável ao ex-jogador foi tomada na segunda-feira (24/8) após acordo entre a Justiça paraguaia e os brasileiros.

Vídeos
Últimas notícias